terça-feira, 18 de agosto de 2015

M 22 - O Aglomerado de Tolkien

               

                   M 22 é uma das maiores jóias da Coroa Austral . Ele forma , juntamente com Omega Centauro e Tucana 47, a trindade dos globulares. São os três maiores Aglomerados deste tipo ( tamanho aparente) visíveis  da terceira rocha a partir do sol ( também conhecida como Planeta Terra..) .  
                Como não poderia deixar de ser ele é conhecido como " O grande Aglomerado de Sagitário". Trata-se de uma imensa fogueira de aproximadamente 500 .000 sóis  e se espalha por 33´de firmamento . O mesmo diâmetro aparente da lua cheia. Na trindade ele é o menor dos membros. Segundo alguns esotéricos ele representaria a Mãe já que para as antigas religiões célticas a trindade consistia do Pai, do Filho e da Mãe. Me parece mais sensato que invocar algum espírito e remonta as lendas de Avalon e suas brumas. Talvez por isto Tolkien ( que era um estudioso destes assuntos...) o tenha descrito no" Hobbit". Pelo menos segundo nos diz O´Meara M22  teria inspirado o autor na descrição de uma jóia  batizada   de Arkenstone of Thrain -"... Era como se um globo tivesse sido prenchido pela luz da lua e pendurado defronte a eles em um tecido líquido feito com o brilho de estrelas geladas..."- algo de incomparável beleza.   De fato isto esta escrito no capitulo 16 do Hobbit. Agora se Tolkien realmente se inspirou em M 22 é já algo no terreno das lendas. Para quem já viu M 22 a descrição é bastante precisa.
                M 22 é um DSO sensacional em qualquer equipamento que você o observe. A primeira vez que eu o vi foi pelo meu antigo "Trucuçu" ( um binoculo 20X80 mm com lentes mecúrio cromo coated) e mesmo assim ele era um espetáculo. Estava e uma viagem de trabalho pelo litoral sul do Rio e chegando embriagado no hotel fiz uma rápida inspeção do horizonte leste onde me deparei com ele. Mesmo sem nenhuma pesquisa sabia de quem  tratava-se. Localizado perto de Kaus Borealis (Lambda Sag)  é uma navegação bem fácil e o mesmo é  percebido até mesmo a olho nu em locais um pouco mais escuros que o Rio de Janeiro.  Em noites sem lua e em locais escuros poucas visões se comparam ao luz de algumas centenas de milhares de estrelas a meros 10.100 anos luz de nós. M 22 é um dos mais próximos globulares.
                É mais um  daqueles  DSO´s que demonstram a precariedade dos telescópios utilizados por Messier (mesmo levando em conta que M 22 nunca se apresenta muito alto no horizonte de Paris) . Ele nos conta que o observou na noite de 5 de Junho de 1764 e que " se trata de um nébula , abaixo da eclíptica , entre a cabeça e o arco de Sagitário. Próximo a estrela de 7a magnitude flamsteed  25 Sagitarii. Esta nebulosa é circular e não apresenta nenhuma estrela.  Claramente visível com um telescópio simples de 3 pés e meio. Abraham Ihle , o alemão, a localizou em 1665 quando observava Saturno. M. le Gentil a observou em 1774".  
             Messier não inclui a observação feita por Lacaille que inclui M22 em seu catalogo elaborado entre 1751-52 e sucintamente ( sempre...) o descreveu assim : " lembra o anterior" . A entrada anterior (Lac I .11) de seu catalogo  fala o seguinte " Parece um Cometa". O problema é que a entrada anterior é discutida até hoje. Eu acredito tratar-se de M69. Mas muitos acham improvável. E M69 não se parece com M 22. Especialmente em minúsculas lunetas como as que Lacaille usava. 
            Halley também o inclui em sua lista de 6 objetos nebulosos publicada em 1715. Ha indícios que Hevelius o viu antes de Ihle.
                O Observando com meu binóculo 15X70 mm ele chega quase ao limite da resolução. Embora não chegue a ver estrelas individuais percebo nitidamente alguma "granulosidade" nas sua bordas e seu núcleo brilha intensamente. Já  o Newton ( telescópio 150 mm) a 48X resolvem-se muitas estrelas até quase o centro.   Com 120X mais ainda. M22 é um aglomerado do tipo VII na escala de concentração Shapley. Medianamente concentrado. 


                O´Meara o chama de "Aglomerado Crackerjack". O nome é uma daquelas piadas que só faz sentido para americanos. Crackerjack é uma marca de pipoca doce que vem com um pequeno brinde em sua embalagem.  Como ele , assim como Skiff,  percebem um pequeno ajuntamento de estrelas no quadrante noroeste de M22 , um aglomerado dentro do aglomerado,  surge o apelido...
                Falei no ultimo post de como é raro encontrar nebulosas planetárias em aglomerados globulares . M 22 possui esta honraria. Descoberta pelo satélite IRAS e catalogada como GJJC 1 esta minúscula nebulosa (10´´X 7´´)habita próxima ao centro de nossa gema. Não achei nenhuma observação visual desta nos meus alfarrábios nem na web... O Hubble Space telescope identificou um considerável numero de objetos de tamanho planetário passeando pelo aglomerado utilizando a técnica de micro lensing ( "dobrando" a luz de estrelas de fundo do aglomerado) .


                M 22 se espalha por 200 anos luz de espaço e sendo muito próximo da eclíptica alinhamentos com planetas são comuns.

P.S. A foto que abre este post é resultado de 15 Exposições de 20 segundos + 7 dark frames realizadas com uma Canon T3 montada em foco direto no Newton ( refletor 150mm f8). 2X drizzle no DSS . 

Nenhum comentário:

Postar um comentário