sábado, 8 de agosto de 2015

Ngc 6633- Tweedledee e os Aglomerados que Existem

            

               Certos DSO´s são pouco ou nunca observados. Em uma leitura errada e bastante vendida  da física quântica alguns gurus  podem interpretar que  algo que não observamos  não existe.  Claro que só o que nós podemos observar existe. Desta forma eu esporadicamente vou atrás de objetos que não são muito observados. Na maior parte das vezes estes DSO´s não participam do roteiro de viagens por serem destinos desinteressantes. Tipo ir até Itaboraí. Mas esporadicamente eles não existem de fato ou são identificados como algo que não são. Nas diversas revisões descobrimos que varias entradas do Catalogo feito por Dreyer e de nome completo New General Catalog ( Ngc) não existem de fato e outras são asterismos e não DSO´s "puro sangue".  Estes , em geral, não são para ser observados. Não sendo observados não existem. O problema entre isto e a verdade é que se eu o você ou o Deepak Chopra  não observarmos algo não tem a menor importância para a elas... As partículas se observam.  E assim as estrelas também nos  observam. Quando você olha para o abismo ele também olha para você.
                 E emocionado com a nova cabeça equatorial digito um numero ao acaso no controle do Synscan. Ngc 6833.
                Eu acredito que um dos baratos da astronomia observacional é que você pode tentar ver tudo que existe. Depois fazer um registro fotográfico daquilo.   
                Antes ou depois  disto ( geralmente depois) gosto de conhecer o que estou observando. Pelo menos nome, telefone e signo.

                Ngc 6833 ao contrario do que poderia supor não era um destino qualquer. Apesar do adiantado da hora e de um alinhamento polar já desalinhado fiz  umas poucas fotos e registrei a existência do mesmo. É  um aglomerado aberto bem espaçoso e achei que seria melhor observado com meu binoculo 15X70.
                Mas quando pedi o telefone a coisa melhorou. O aglomerado foi descoberto por Cheseaux ( o mesmo descobridor de M17) entre 1745-46. É  a terceira entrada em seu catalogo. Ch.3. Cheseaux criou um catalogo com 20 entradas onde 8 se confirmaram como DSO´s nunca antes observados.  Ele o descreveu de forma bastante simples: " Próxima a Cauda da Serpente existe um pequeno aglomerado de estrelas que se destaca do resto em direção ao oeste."
                Posteriormente foi redescoberto por uma muito querida convidada aqui no Nuncius Australis.Mme. Herschel. Ou melhor Caroline Herschel.  Seu irmão William inclui a descoberta em seu General Catalog ( avô do NGC) como H VII 72.  " Aproximadamente no meio do caminho entre S Serpentarii e Theta Serpentis ,um aglomerado de grandes estrelas. Eu contei cerca de 80". Caroline utilizava um telescópio que apresentava um aumento de 24 X e um campo de um pouco mais de 2o que se revela perfeito para descobrir grandes aglomerados abertos. Foi-lhe dado por seu irmão William para que ela escaneasse o céu em busca de  cometas.
                 Localizado em Ophiucus o grande aglomerado aberto se espalha por  30´ de céu. Sabendo-se que sua distancia de nós é pouco mais de 1000 anos luz  implica  que este se espalha por aproximadamente 8,5 anos luz .   Existem já algumas gigantes vermelhas entre suas estrelas componentes o que faz deste um aglomerado galáctico de idade mais avançada.  660 milhões de anos.   O Aglomerado é bastante estudado e  quase contemporâneo da Híades  e do Presépio ( M44).
                Ngc 6633 se apresenta bem próximo ( 3 o) um outro aglomerado grande e que também se apresenta como um bom alvo binocular. IC 4756. Por esta razão O´Meara em seu "Deep Sky Companions: Hidden Treasures" os apresenta como os aglomerados "Tweedledee" e  "Tweedledum". Personagens de Lewis Caroll em seu  "Através do Espelho e o que Alice Encontrou Lá" e que se tornaram um exemplo clássico de duas coisas semelhantes. Também observei 4756 e posso garantir que este existe. Mas fiquei devendo um encontro mais intimo...   Curiosamente este grande aglomerado ( talvez por seu tamanho) escapou de Cheseaux, de toda família Herschel, Lacaille , Dunlop e todos os observadores pioneiros para ser descoberto apenas através de uma placa fotográfica realizada na Estação de Harvard em Arequipa. Seu identificador foi Solon Bailey.
                6633 é também um DSO que é melhor observado com telescópios de campos grandes ou binóculos.  Por isto talvez tenha  escapado de ser uma jóia mais visitada.
                Observei Ngc 6633 já cansado e em noite de lua cheia. Mesmo com uma magnitude  de 4,6 as descrições apaixonadas de O´Meara  e de Walter Houston me pareceram um pouco exageradas. Mas Ngc 6633 definitivamente existe e é um aglomerado que vale  ser visitado.



                Localiza-lo é bem facil . Localize  Rasalhague ( Alpha Ophiucus) e seguindo rumo ao leste  e localize 71 e 72 Ophiucus. Sendo a distância destas até Rasalhague um passo dê mais um passo na mesma direção e chegue até 6633.  A navegação será fácil pela buscadora.
                Novamente O´Meara nos conta que ele e um amigo conseguiram perceber "Tweedledee" e Tweddledum" a olho nu e chegaram quase  a perceber estrelas individuais  sob  o céu muito escuro do cume do Mauna Kea ( mais de 4000 m de altitude....).
                Com a Lua cheia não percebi nem mesmo algum gradiente de luz na região. O aglomerado se manifestava apenas na buscadora. Junto a ocular achei o aglomerado  disperso e provavelmente devido a forte lua bem descolorido. Entre seus membros percebem-se diversos mini asterismos mas não percebo nenhuma padrão marcante ou semelhança curiosa...   Realizei apenas umas poucas fotos de Ngc 6633 quando percebi que o acompanhamento não estava bom.
                Apesar de seu tamanho GG incluo ele na mesma categoria que coloquei  Ngc 5269. "Aglomerados que existem".   


                

Nenhum comentário:

Postar um comentário