terça-feira, 1 de setembro de 2015

M 75 - Um Mistério Bicentenário

                         

         M 75 é um globular relativamente distante e já foi considerado  um daqueles vagabundos inter galácticos de origem suspeita , da mesma corja que Ngc2419 em Lince. Apesar de ser um dos mais distantes globulares no catalogo Messier  esta muito mais próximo que este. 67.000 anos luz contra 380.000 anos luz.  É um membro respeitável da comunidade do halo galáctico.  Sua distancia é alvo de alguma disputa mas 67.000 anos luz me parece uma "media ponderada" bastante aceitável.
               Situado na fronteira entre Sagitário e Capricórnio em uma área sem muitas estrelas guias no caminho é um dos globulares mais difíceis de se localizar do catalogo.
          Harrington oferece um "starhooping " bem difícil e que nunca funcionou comigo. Sempre cheguei a ele pelo método da paciência misturada com a força bruta.  Atualmente uso  o "Go-to" da montagem sem nenhuma culpa.
             Ele propõem que você imagine uma linha conectando Kaus Australis até Ascella que ficam na base  do asterismo do "Bule", que personifica  Sagitário, e siga rumo a leste. No caminho você deve perceber uma estrela dupla levemente ao norte de sua rota. Ao sudeste  desta vai perceber  um grupo de pequenas estrelas formando um padrão de cruz. Seguindo ainda neste rumo ( meio incerto...)  vai perceber um triangulo de fracas estrelas . Centralize este triangulo em sua ocular de maior campo e escaneie rumo nordeste para localizar o tênue brilho de M75.
          Mesmo com meu 15X70 mm M 75 é discreto. Não é um alvo para binóculos .
             Pelo Newton as coisas melhoram mas não chego a resolver estrelas individuais nem mesmo nas bordas . O núcleo é mais brilhante e "arrodeado" por uma leve nebulosidade sépia. Tem um "que" de nebulosa planetária mas sem aquele tom esverdeado que costumam denuncia-las. Mesmo com 240 X apenas uma leve suspeita de granulosidade se apresenta nas suas bordas.  M 75 é um globular do tipo I na Escala Shapley de concentração. Ou seja do tipo mais concentrado. Somando-se isto a sua distância resolver este globular é tarefa ingrata mesmo para grandes telescópios.
                   Com um diâmetro aparente de apenas 6´8´´ e aceitando-se a distancia acima indicada implica que M 75 se espalha por 130 anos luz e possui uma magnitude absoluta de - 8.55. Algo como 180,000 sóis.
                   Este foi incluído por Messier em seu catalogo em 18 de Outubro de 1780. Isto me deixou com a pulga atrás da orelha já que em outubro M 75 Só seria visível muito baixo no horizonte de Paris e extremamente cedo ( até 18:30)  . Se passando alto no céu e com este bem escuro M 75 é um tesouro difícil para se escavar  nestas condições  ( e com telescópios de qualidade duvidosa...) seria um feito incrível.
                     Com um pouco de pesquisa busquei o original de seu Catalogo e coisa ficou ainda mais estranha... Em uma entrada um pouco confusa e escrita em terceira pessoa estava lá  :   "  (Outubro 18, 1780) Nébula sem estrela, entre Sagitário & a cabeça de Capricórnio ; Observada por M. Méchain em 27&28 de agosto , 1780. M.Messier procurou no próximo 5 e em 18 de Outubro  e  comparando sua posição com a estrela 4 Capricorni , de sexta magnitude, de acordo com  Flamsteed : pareceu à M. Messier ser composta de nada mais que pequenas estrelas , contendo nebulosidade: M Méchain reportou que é uma nébula sem estrelas. M. Messier o viu em Outubro 5; mas com a lua estando acima do horizonte ,& não foi até 18 do mesmo mês que ele foi capaz de julgar sua forma ( ou Estrutura?) & Determinar sua posição."


M 75 sobre o céu de Paris .em 27 de Agosto 1780 as 18:17:02  horas no horario local...

                  Em meio a estas informações confusas posso inferir que a descoberta de M 75 é obra de Méchain. Este o observou este em 27 e 28 de agosto. M 75 cruzou o Meridiano de Paris e se encontrava em sua mais alta elevação ( que é sempre pouca em Paris: 19o17´)  as 18:17:02 ( horario de Paris).  Observou exatamente o que era de se esperar com seus recursos e localização . Uma nébula sem estrelas.
                Dai para frente começa o quebra- cabeça.   As posições dadas por ambos diferem em apenas 6´.  Não há na região nenhum outro DSO que pudesse ter levado um mal entendido.Na verdade o DSO mais próximo se encontra a quase 5o de distancia e é uma nebulosa planetária de magnitude 14 e com um brilho de superfície tão baixo que não é visualmente visível nem mesmo com o Keck.

              Messier ( em um incomum arroubo de César , o imperador romano...) fala de si mesmo na terceira pessoa nos diz ter localizado uma "nebulosa composta de pequenas estrelas contendo nebulosidade."
                 É muito estranho Messier ter resolvido alguma coisa em M 75. O mesmo não resolveu nem mesmo M13... E em 18 de Outubro M75  esta cruzando o meridiano antes das 15 horas . E apesar do Stellarium nos dizer que o sol já esta quase se pondo neste horário é evidentemente um Bug. Já estive em Paris no auge do inverno e as três da tarde é dia claro...
O mesmo M75 sobre o céu de Paris em 18 de outubro de 1780. Evidentemente o Stellarium esta tendo um delirio. São 14:58:35 . Mesmo no inverno ainda é dia claro...
                 Neste instante me ocorre que ao contrario do sensores de minha câmera que quase resolvem alguma coisa em M75 o olho humano nos prega peças . E Messier era humano. Eu mesmo tive a impressão de perceber alguma granulosidade em M 75 . Daí para achar que esta impressão é mais que apenas uma impressão é um passo. E voilá ... Um aglomerado de pequenas estrelas contendo nebulosidade. Especialmente com um seeing duvidoso de um aglomerado já baixo no horizonte e uma transparência ruim esta resolvido o problema.
              Acredito ainda que como M75 tem um brilho de superfície relativamente alto ele ajuda a pregar esta peça. Como percebe-se claramente o seu núcleo e suas bordas e a diferença de gradiente é notável é fácil percebermos a diferença na "densidade" das partes. E assim a nevoa mais rala das bordas pode dar a impressão de ser feita de estrelas minusculas.
                M 75 é um belo desafio observacional , E o que Messier viu (ou não viu...) um mistério que vai completando 235 anos e provavelmente nunca será resolvido .
           Outra coisa interessante é que se visualmente eu ainda poderia achar que resolvi algumas poucas estrelas nas bordas deste com a fotografia fica evidente sua concentração e como é pouco provável que algo se resolva visualmente. Na verdade depois de ver as fotos que fiz deste eu me decidi que minha impressão era apenas isto: uma Impressão.
1X 15 Segundos 3200 ASA
10X 15 seg + 7 darks +3 flats +4 bias  - DSS+photo Shop


                 Realizei 10 exposições de 15 segundos de M75. Se você olhar para um único destes frames você irá perceber como é difícil sequer diferenciar M75 de uma das estrelas de campo. O aumento com a câmera é de cerca de 40 X. Os equipamentos de Messier possuíam uma ótica muito inferior ao meu telescópio ( vão mais de 200 anos...) e possuíam pequenas ampliações pois seu objetivo maior sempre foi a busca de cometas.  Eu , definitivamente , não resolvo estrelas alguma em estas fotos sem  realizar "stacking". Apesar das capturas terem ficado a desejar devido a um mal alinhamento polar e um foco um pouco "soft" o processamento destas fotos acaba resolvendo alguma coisa mas  mesmo com um drizzle de 2 X poucas estrelas realmente se destacam em suas bordas.   
2X Drizzle


              
Sem Flats e sem Bias.... Apesar do Ruido enorme o Globular acaba apresentando mais estrelas resolvidas. Outro mistério. Este bem mais recente...

               William Herschel  ( certeza...)com telescópios muito mais poderosos conseguiu resolver estrelas em M 75 em 1784. Ele o descreveu como uma miniatura de M 3.
                  Existem registros de solução parcial do aglomerado com telescópios com mais de 300 mm e até mesmo de 250mm.
                   Você resolve algo em M75?

                                 

Um comentário:

  1. Obrigada! Se não fosse as suas informações sobre a M75 minha pesquisa e de um amigo seria mais difícil ainda. Obrigada e parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir