segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Eta Carina Reloaded

           
           


           A Grande Nebulosa de Eta Carina é um dos mais impressionantes DSO´s de todo o céu. A maior jóia da Coroa Austral. Já fiz um grande post a respeito da moça. Neste apresentei sua história cheia de reviravoltas e lances explosivos ( literalmente). E pincelei a cosmologia envolvida na estrutura.
            Desta vez vou contar a história de uma foto. Na verdade de varias fotos.
            O fim de ano é sempre tempo de astro fotografia no posto avançado do Nuncius Australis. Em ambiente mais propicio a pratica da "difícil arte" que na Stonehenge do Pobres eu não poderia perder a chance de visitar a grande dama cm o Newton ( um refletor de 150 mm). E assim obter algumas fotos um pouco mais dignas que as do ano passado realizadas com o galileu ( um refrator de 70 mm e de óptica pedestre...) .
            Como já contei o posto avançado apresenta obstaculos distintos da fotos que realizo no Rio de Janeiro. Geribá é uma espécie de área suburbana na Armação dos Búzios . Durante a Lua cheia  as condições do céu são algo como Bortle 6/7. ( Veja Escala Bortle)
            Com Eta carina do lado oposto a  lua e com um alinhamento polar recem afinado eu decido revisitar a nebulosa por volta de 00:30 de 8 de janeiro de 2015. A observação visual não chega a ser alentadora. Se percebem muitas estrelas mas a nebulosa em si esta bem lavada e é discreta. A olho nú não chego a perceber nebulosidade nenhuma na região. E com uma ocular 25 mm ela se destaca apenas utilizando visão periférica. Na verdade precisei fazer um certo star hooping a partir das Plêiades do Sul para localiza-la.
            Depois de centralizar esta na ocular substituo a 25 mm pela câmera. Como a noite esta bastante ventosa prefiro apostar em exposições bem curtas e subir um pouco a ASA. Neste fim de ano estava tentendo realizar as astrofotos utilizando exposições mais longas ( de até 1 min. A maioria com 30 seg...) e ASA mais baixa. Mas com até os galhos mais grossos da Aroeira que adorna o portão da casa balançando fortemente nas rajadas mais fortes do nordeste que limpava as nuvens eu decidi que 15 segundos e 3200 ASA seriam um método mais conservador e efetivo. O vento é um adversario terrível para astrofotografia. É como  um "pé de gancho" ( cidadão que esbarra em tudo...) rondando o seu telescópio. 
             De mais de 50 exposições realizadas só passaram pelo meu frouxo controle de qualidade 27 das fotos. O alinhamento polar estava bem honesto . Mas o vento ....
            No Processamento das 27 fotos só passaram 22 destas pelo mais rígido controle de qualidade do Deep Sky Stacker.
            Fiz duas versões das fotos neste programa . Uma sem nenhum Dark frame e outra com 17 dark frames. Ao contrario de o que se poderia imaginar a diferença não chega a ser imensa. Como não havia realizado darks na noite eu resolvi fazer alguns com a maquina utilizando uma lente 18-55 mm com a tampa na frente e com esta utilizando f8 como obturador ( o equivalente a razão focal do Newton). Vivendo e aprendendo e as fotos não servem como darks . São rejeitadas pelo DSS. Este alega que o tamanho ou outra variável não é compatível com os Light frames gerados. Retiro a lente e a coloco a tampa do corpo da Canon T3 acoplada e refaço os darks. Agora sim...
Canon T3 Newtoniano 15o mm de diametro 1200mm DF- 22 Light Frames 15 seg -22 dark frames Empilhadas no Deep Sky Stacker e posteriormente visitando o Noiseware.

Sem Darks e sem noiseware

            Apesar de estrelas não exatamente redondas fico feliz com as fotos . A região coberta pela nebulosa é imensa  (bem maior que M42) e diversas estruturas associadas a nebulosa se apresentam. A Keyhole Nebula é evidente .O Homunculus também e  diversos dos abertos que abundam na região se apresenta evidentes.
            Não poderia deixar de realizar um alinhamento também utilizando o bom e velho Rot n´ Stack. Apesar de menos poderoso que o DSS é um software que tem suas qualidades e seus logaritmos apresentam sempre resultados diferentes.  E ele sempre aceita todas as fotos. O controle de qualidade do mesmo é inexistente... O que as vezes garante efeitos mais pirotécnicos que fotográficos. Eu que gosto de Pop Art me divirto muito com o mesmo...
Rot n´Stack modo mean

           
Modo Sort... 
O Newton é uma telescópio com 1200 mm de distancia focal. Estou a me convencer que a EQ 3-2 funciona em seu limite máximo com tal set up. Na verdade um pouco sobre carregada. Mesmo com um alinhamento polar cuidadoso é rara a foto "perfeita". O erro periódico é bastante grande. Mas fico feliz de conseguir manter o meu hobby na seara do barato. E mais feliz ainda com as fotos . São um belo registro da maior jóia dos céus austrais.


P.S. Localizei entre as sobras do fim de ano uma foto que não sabia de onde era. Com auxilio do Astrometry descobri tratar-se de um dos campos estelares que compõe 3372 ( A nebulosa de Eta Carina..) . Para não deixa-la perdida no HD a adicionei aqui  
 




Nenhum comentário:

Postar um comentário