quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Ngc 6397, Astrofotografia e a Derrota

Ngc 6397 -30 exp de 15 seg no  Rot n´ Stack 


Astrofotografia é  arte ingrata. Nem sempre dá certo. É com certeza uma  forma mais exigentes de se observar e registrar  o firmamento.
Quando fotografo pela janela de casa o alinhamento polar é mais difícil. E para fotografar ele não pode ser apenas aproximado. 
 Como só posso ver, de fato, o horizonte sul a coisa acontece meio por tentativa e erro. Embora eu já saiba aproximadamente a posição que as coisas devem estar é sempre tudo de novo. As marcas no chão já foram apagadas. A cabeça equatorial já não esta na mesma posição.  Ela viaja e quando viaja precisa ser ajustada para a latitude local. E assim começa tudo outra vez... É a parte mais difícil do jogo. E por isto mesmo a que deve ser jogada de novo e de novo... 
Eu sou  um observador visual. É olhando pela ocular e trocando oculares que mais me divirto. Acho também que o desenho astronômico   é a forma que permite registro mais próximo do que o astrônomo amador deve esperar encontrar quando procura por um DSO desconhecido. E assim sempre que possível faço , ainda que um esboço, dos que observo... 



Mas adoro o desafio das fotos.
Cantar vitória é fácil. Infelizmente nem sempre as coisas dão muito certo.
Ngc 6397 é um daquelas derrotas  que não revoltam. Na verdade foi muito divertido.  
Há muito sem fotografar no ambiente “full conditions” que só possuo na sala de meu apartamento eu tinha alguns DSO´S como possíveis alvos para aquela noite.
Full Conditions
Por “full conditions” entenda-se fotografar de frente para os vizinhos, com a família em casa, no meio do Rio de Janeiro e sem possuir um horizonte suficientemente amplo para tentar realizar um alinhamento por Drift nem com auxilio de marreta. Não esquecer o gato que disputa a janela com o telescópio e que por sua vez é protegida por uma tela para evitar arroubos suicidas deste mesmo gato.  Não posso esquecer:  Bortle 8 
Desta forma eu tinha em mente alguns alvos. Eram estes Ngc 6752, Ngc 6101 e 6397. Assim eu fatalmente conseguiria localizar e com sorte fotografar um deles em algum momento da noite. Era bom ter um leque de opções visto que eu dependia de uma combinação de horário, de janelas acesas no prédio em frente, da boa vontade da esposa e da filha e ainda do gato...
Como um navegador eu tinha minha derrota planejada. No mundo náutico, derrota é o planejamento de um determinado trecho navegado ou por navegar para se sair de um lugar até chegar a outro lugar. Algo como Star Hooping e mais um pouco.
Depois de algumas horas tentando um alinhamento polar com um mínimo de dignidade eu me dou por satisfeito quando consigo uma foto de Achernar sem que a estrela seja um risco no céu. Mas também não chego a tanto de conseguir que esta seja um ponto...
 Eu que comecei o alinhamento com Hadar (Beta Cen) sendo fotografada durante 15 seg. no  horizonte sudoeste acabo o processo de  alinhamento com Achernar (Alfa Eri) já no extremo sudeste permitido pela minha janela. Vejam a diferença...
Hadar                                     Achernar
Depois de algum tempo e com a boa vontade do vizinho do 16º andar eu acabo conseguindo localizar Beta Ara e sua companheira mais tênue Gama Ara a olho nu .Na verdade depois que achei meus óculos  (afinal ,full conditions incluem a bagunça ) . Daí para decidir que Ngc 6397 seria a vitima da noite foi um passo. As duas estrelas formam um belo par que sobrevive a agressões violentas do ambiente urbano.
Com a Buscadora (9x50mm) centralizada em Beta Ara é fácil saltar para Pi Ara e desta para o Globular. Ele é discreto na ocular no meio da poluição luminosa da cidade. Mas com atenção você vai ver certa nebulosidade.
Com a ocular de 25 mm ( 48 X de aumento) eu centralizo o bruto na ocular e resolvo algumas estrelas.
Agora é fotografar... A primeira foto serve para centralizar melhor o alvo. Afinal sempre que substituo a ocular pela câmera o " quadro dá uma sambada".
Bem o que importa é o desafio e apesar do alinhamento parecer razoável, já que o aglomerado se mantém durante dezenas de exposições na mesma posição, eu esqueci que o Newton (meu 150 mm) precisa de colimação de tempos em tempos...  As estrelas (que apresentam algum drift) parecem vírgulas nas fotos. Na observação visual este efeito é bem menos evidente.
 Minha câmera não apresenta live view  e  isto somado  a  minha preguiça não leva  ao foco de uma forma precisa. Na verdade tento o foco apenas com as poucas estrelas que percebo de forma extremamente discreta junto  ao viewfinder. Deveria fazer o foco com alguma estrela um pouco mais brilhante e aí enquadrar, meio que as cegas, utilizando a buscadora. Com DSO´s mais claros isto é viável. E eu , ansioso , não checava cada uma das fotos dando zoom .
 Umas melhores e outra piores eu preferia acreditar que no processamento  um milagre aconteceria.
Apesar de o Deep Sky Stacker aceitar as fotos e empilhar tudo o resultado é péssimo. Tento então o Rot n´stack e seus logaritmos doidos. Fica menos ruim.  
Mas de qualquer forma foi muito divertido e depois de tirar 30 fotos do globular eu dou mais uma espiada com a 10 mm e com a 17 mm. A melhor combinação é com a 17 mm e resolvo diversas estrelas no corpo do globular. Mesmo com visão direta. Seu formato não é exatamente circular sendo um pouco fora do esquadro em relação a outros globulares. Não é uma bola de estrelas perfeita...  Ele é um globular da classe IX na escala Shapley.

Ngc 6397 é um globular bem brilhante. Mag. 5.7 e um alvo austral por excelência.
É uma descoberta do Abbe Lacaille . Este o registrou como Lac III. 11 em sua viagem 1751/52 para Cape Town.   É um dos dois aglomerados mais próximos da terra (o outro é M 4).
Foi alvo de estudos para calcular a idade da galáxia e possui cerca de 400.000 estrelas.
É um dos 20 globulares de nossa galáxia que sofreu um colapso de seu núcleo. Ou seja, seu núcleo se contraiu para uma densa aglomeração estelar. É o mais próximo globular a passar por este processo.
Agora é levantar a poeira e se preparar para lutar a boa batalha novamente.
Em meio a tudo isto percebi que a lua se apresenta em boa posição para fotos logo ao anoitecer. E Selene costuma ser mais dadivosa e muito menos tímida  que DSO´s quando se trata de astrofotografia...     
 Como já contei aqui  a astrofotografia me faz um astrônomo melhor.
Amanhã é uma outra noite...

Nenhum comentário:

Postar um comentário