quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Ngc 2477: Um Rico Aglomerado Aberto



             Abbe Lacaille ( Nicolas Louis de Lacaille 1713-62) foi o primeiro grande explorador do Céu Profundo austral. O esforço que resultou em um pequeno catalogo com 5 entradas realizado por Halley debaixo do inclemente clima e da mão de ferro de seu "governante" na Ilha de Santa Helena  não chegou sequer a arranhar as maravilhas que se escondem abaixo do equador.
  O
                Durante sua expedição ao Cabo da Boa Esperança  realizada entre 19 de abril de  1751 e 8 de março de 1753 o Abbe catalogou 42 "nebulosas"  das quais  32 se revelaram DSO´s verdadeiros.  Em seu trabalho ele dividiu as nebulosas em trés categorias : Nebulosas sem estrelas ( tipo 1),  aglomerados nebulosos (tipo 2) e estrelas acompanhadas de nebulosidade (tipo 3).  Em seu relato Lacaille nos diz "  Encontrei um grande numero dos três tipos de nebulosas na parte sul do céu , mas eu não me engano com a ideia de que observei a todas , especialmente dos tipos 1 e 3 porque estas só podem ser percebidas após o anoitecer e mesmo assim em noites sem lua . Entretanto tenho a esperança que esta lista seja completamente passável em relação as mais notáveis dos três tipos".
                Uma outra apresentação do Abbe demonstra claramente em que pé andava o conhecimento das estruturas de céu profundo no século XVIII e do hercúleo trabalho por ele realizado de posse de parcos recursos : "  As assim chamadas estrelas nebulosas  oferecem aos olhos daqueles que as observam um espetáculo tão variado que sua exata e detalhada descrição pode ocupar os astrônomos por um longo período e dar  origem a um grande numero de curiosas reflexões por parte dos filósofos... eu estou esboçando  estas descrição e lista para servir de guia  para aqueles com disposição e equipamento para estuda las com telescópios maiores. Eu adoraria apresentar algo mais detalhado e instrutivo neste artigo mas com refratores comuns de  15 a 18 polegadas ( distancia focal)  como os que possuía no Cabo da Boa Esperança eu não possuía instrumentos nem adequados e nem convenientes para este tipo de pesquisa."
                Ngc 2477 é a entrada numero 3 da classe 1 do Catalogo Lacaille . Lac  I 3.  Habitando a constelação de Puppis ( também uma "criação" de Lacaille ao desmembrar a antiga e enorme constelação de Argus Navis) é um dos mais ricos aglomerados abertos que conheço. Recorda em muito M 46. Por uma daquelas coincidência que nada tem a ver com as leis fundamentais do universo ele também forma uma espécie de aglomerado duplo assim como M 46 e M 47. E desta forma ele é o mais belo e mais difícil de ser observado de sua dupla cósmica. Ele faz par com o brilhante e nem tão charmoso  Ngc 2451.

2451 em uma noite bem nublada...1 exposição 15 seg asa 1600. O aglomerado é bem mais interessante que isto em condições normais de temperatura e pressão...
                Localizar Ngc 2477 não é tão fácil como parece . Especialmente devido a proximidade de 2451. Não leve gato por lebre. O Original parece com um pequeno cometa em binóculos e buscadoras. Já  2451 se resolve claramente.  Mas ele se resolve rapidamente com auxilio de um telescópio mesmo com aumentos na casa de 30 ou 40 X.  Sua navegação deve começar a partir de  Naos ( Zeta Puppis)  . E com esta na  buscadora e percebendo a estrela b Puppis ( mag. 4,5)no campo  com um pouco de atenção você vai distinguir 2477. Se chegar até 2451 volte um "pouco" e escaneie  com sua maior  ocular. 

                2477 é um aglomerado galáctico muito rico e sua aparência pode lembrar alguns globulares menos densos como M 71 e M 55. Mas como já falei das semelhanças entre M 11 e M 55 o diabo esta nos detalhes. E assim Ngc 2477 possui "apenas" 1,3 bilhões de anos. Uma idade avançada para aglomerados galácticos mas um juvenil se comparado a liga sênior  onde jogam os globulares.  Ngc 2477 possui 1981 membros conhecidos e confirmados e estando a 3.700 anos luz de nós  e com um diâmetro aparente de quase 30´ele ocupa  22 anos luz de espaço.
                Ngc 2477 é ainda uma testemunha da era de ouro da exploração dos céus austrais entre os seculos XVIII e XIX. Após ser avistado como uma nebulosa sem estrelas por Lacaille  sua verdadeira essência é descrita pela primeira vez por Dunlop :  " Uma nebulosa bem grande e tênue facilmente resolvida em estrelas pequenas , ou melhor , um aglomerado de estrelas..."
                Posteriormente e completando a trindade dos exploradores do céu austral o mesmo é descrito por John Herschel da seguinte forma : " Aglomerado soberbo ( gradualmente mais brilhante em direção ao centro) 20´ de diâmetro. Muito mais do que suficiente para preencher todo ao campo. Estrelas de 10a  e 11a magnitude , todas quase iguais"

                Observando sob céus "Bortle 6" ( Céus suburbanos brilhantes) o aglomerado é alvo difícil de se perceber pela buscadora mas se revela facilmente e riquíssimo com auxilio do Newton ( meu telescópio newtoniano 150 mm f8) com 30 X de aumento ( ocular 40 mm). Sua melhor forma é obtida utilizando minha 26 mm onde enche o campo e apresenta mais contraste. Com a 40 mm é possível espremer partes de 2477 e 2451 no mesmo campo.  Formando assim um belo aglomerado duplo. Com telescópios "wide field" sera uma vista maravilhosa. 
                As fotos aqui apresentadas foram feitas com o Newton montado sobre Madame Herschel ( uma montagem equatorial HEQ 5 ) e utilizando uma Canon T3 sem nenhuma modificação . São resultado da soma de cerca de 20 fotos com  25 segundos de exposição ASA 3200. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário