domingo, 25 de setembro de 2016

A Armação dos Ventos Uivantes e a Galáxia de Escultor

              
               O primeiro fim de semana  de lua minguante depois do equinócio de primavera é quase como a Pascoa nas terras de José Eustáquio  ( mítico astrônomo  do Catalogo J.E.S.S.) .  E assim eu não poderia deixar de abduzir toda a família em direção da Península  onde esta a antiga Armação dos Peixes e  a atual Armação dos Búzios.
                O clima da Península é dominado por seu regime de ventos. E com os ventos do quadrante leste dominando se produz ali  um microclima bastante propício a observação astronômica. Segundo reza a lenda contada por José  este regime deixa o clima na região sempre agradável .  Uma temperatura média anual de 26o C ( "meteorologicamente provado") e (começa a lenda...) uma média de dias de sol e noites estreladas cerca de duas vezes maior que a  "Capital" (Rio de Janeiro) e três vezes maior que Angra dos Reis , na Baia da Ilha Grande. 
                Tendo planejado tudo com precisão quase cirúrgica eu tinha consultado o 7Timer ( site metereológico) com antecedência e "sabia" que a noite de sexta feira  (23/setembro/2016) seria quase perfeita para meu projeto. E como terminaria   meu trabalho na quinta preparo tudo para pegar as crianças na saída da escola sexta (na verdade o menor sequer foi para a escola...) e estar em Búzios a tempo de utilizar Eta Pavo como estrela para realizar o alinhamento polar. Isto aconteceria as 18:25:18 no horário local.   Depois de "arrastar" a cara-metade ainda no horário consigo pegar a filha com pequeno delay e assim chegar em Búzios 16:00 horas sem correr muito.
                Definitivamente o vento nordeste estava roncando na Península. O Céu não poderia estar mais limpo.     Ainda na saída do Rio percebera boa transparência. Ao cruzar a Ponte Rio-Niterói consegui vislumbrar a crista da Serra do Mar. Recortados contra o céu percebia , ainda que com leve nebulosidade envolvida , claramente o Monte Escalavrado ,o Dedo de Deus , Nossa Senhora e o Cabeça de Peixe. Lá em Teresópolis... Equipamento montado e pré alinhado antes da 17:30.
                Mdm. Herschel é uma cabeça equatorial HEQ 5 da Skywatcher. Sólida o suficiente para sobreviver ao vendaval.  Me lembrei logo de uma noite que passara aqui com minha  velha EQ 3 que perdia mais das metades das fotos feitas para o vento.  Curiosamente caçando por um outro objeto descoberto por Caroline Herschel ( Ngc 253 é uma descoberta dela)  ; Que foi  posteriormente  homenageada no apelido da HEQ 5 que hoje me acompanha. Mais uma daquelas coincidências que nada tem a ver com a leis fundamentais do universo que abundam por ai e sem a menor importância. 
                O vento é um inimigo cruel para a astrofotografia. Um mal alinhamento polar pode ser solucionado  com uma redução do tempo de exposição, o aumento da asa e um auxilio do Fitswork... O vento inutiliza as fotos onde interfere. Estrelas viram um borrão como se o telescópio tivesse levando uma trombada durante a captura.
                Quando observo geralmente possuo um roteiro "meio-que -montado". Uma derrota celestial registrada em papel. E desta vez tinha em mente observar algumas galaxias no Grupo de Escultor  e fotografar (possível sendo) ao menos Ngc 253 e Ngc 300.
                Mas o primeiro alvo da noite era  um recanto rico em DSO´s e uma bela esquina galáctica.
                Ainda cedo meu menor acompanhava as observações. Com 3 anos a brincadeira era que caçávamos.  O conceito de caçar amplo como o de uma criança. Poderiam ser tesouros , peixes ou animais. E assim íamos até o computador e escolhíamos um alvo e depois retornávamos ao telescópio onde tínhamos que falar bem baixo para não espantar as nossas presas. Depois eu disparava a arma ( no caso a câmera fotográfica )  e 30 segundos mais tarde (o tempo de exposição ) eu comunicava que tínhamos acertado o tiro e festejávamos nossa conquista . Ele olhava para a foto e fazia de conta que entendia quando eu lhe explicava que tratava-se de uma região com um aglomerado globular e "matéria intergaláctica" . Nossos grandes tesouros.  Depois disparava novamente e câmera e fazíamos tudo de novo.
                Desta forma  caçamos um tesouro que ficara enterrado por muito tempo na região da Corona Austral. Uma constelação espremida entre a cauda do Escorpião e o Sagitário. Para meu filho ainda todas as constelações do céu são um Escorpião...
                Na mesma foto pode-se ver Ngc 6723, 6726 e Epsilon Cor A.

            


            Depois disto as coisas começam a se complicar e percebo que o alinhamento do Synscan (sistema de localização de Mdm. Herschel) estava recalcitrante e muito pouco preciso. Alguns ajuste s e uma nova escolha de estrelas para realizar o alinhamento acompanhado de um leve ajuste no alinhamento polar e retorno a missão. Agora já nos moldes de Joshua Slocum e velejando em solitário fico correndo com o tempo enquanto aguardo por Ngc 253 , A Grande Galaxia de Escultor.  Navegando em meio a "porranca de nordeste" tento em vão localizar M 71. O go-to não esta bom ... M 71 a mim  parece ser um dos globs mais arredios do catalogo Messier.  Deve ser algo pessoal.
                Com tesouros mais profundos a frente acho melhor refazer o alinhamento do Go-to pela enésima vez...
                Finalmente a coisa parece estar funcionando a contento. E assim finalmente  localizo Ngc 253 com o apertar de um botão.  Percebo logo  que existe mais algo na ocular que os "aviões de carreira".  Observo e realizo algumas exposições . O Vento continuava forte e após tentar algumas fotos com exposição de 1 minuto acho melhor me conformar com 30 segundos. O alinhamento polar estava apenas quase a altura e durante um minuto  era difícil que o a "lestada"  não desse uma lufada mais forte  e acabasse logo com a foto.

                Preparo o computador e utilizo o APT ( software) para realizar a captura. No final tenho 50 exposições  de 30 segundos da galaxia. Aproveitáveis entre 30 e 35 dependendo do humor... 
                Ngc 300 acabou por fugir de mim. Não consegui visualiza-la mesmo depois de ajudar o go-to com um pouco de starhopping e com consultas ao Stellarium e a  meus atlas.

J.E.S.S 120 ?

                A fim de relaxar tento Ngc 6400 já baixo no horizonte. Acabo sendo enganado e fotografo um interessante asterismo onde pretendo realizar uma analise mais detalhada. Me parece um aberto bem esparso . Talvez venha a ser a entrada 120 do Catalogo J;E;S,S, . Em todo caso um interessante campo na cauda de Escorpião. 

                Depois disto resolvo sair do Script e  acabo visitando M 29. Um aberto do catalogo Messier que só tinha observado com binóculos. Umas poucas fotos para posteridade.  

                Com os dois alvos mais almejados de minha derrota já no porão e devidamente registrados ( Ngc 253 e o campo em Cor A)  acabo indo revisitar Albireo. Muito baixa no  horizonte noroeste  ainda se presta a um belo espetáculo. Minha  dupla favorita.
                Depois disto passo um bom tempo namorando Andrômeda. M31 em uma noite sem bafo de vapores de poluição luminosa. Sem nuvens e com  a afamada noite Buziana  devidamente amansada pelo vento e pela  temperatura bem abaixo dos 26o  da lenda M 31 se apresenta com muito mais dignidade do que na minha ultima visita ( 3 setembro 2016) . Com visão periférica , hiperventilação e reza braba acredito perceber detalhes em seus braços espirais. Faixas escuras ...  Com meu casaco mais pesado sobre a carcaça faço umas poucas imagens de M31 e sigo meu passeio. Novamente M 33 é decepcionante de Búzios. Eu sei que estou olhando para ela e não a  vejo.
M 31 e 32


                De volta a derrota planejada tento Ngc 55. Mas não arrumo nada. O go-to ou minha visão não estavam localizando a galaxia.
                Já vai tarde e visito as Plêiades. Em breve a Lua vai nascer. Em rápida sucessão visto   M 79 , M 42 e M78. Da ultima até realizo algumas fotos mas nada que prestasse. Deletei todas depois de selecionar as capturas.
                A noite vai chegando a fim e de posse de um Ballantines vou transferir o cartão da câmera e ver meu butim. Muitas das peças haviam sido danificadas pelo vento...


                A derrota segue como planejada e acordo cedo para comprar camarão. Depois ir até a praia.   Voltar para casa. O tempo começa a fechar ( exatamente como o planejado) e  faço meu churrasco. Espetinhos de Camarão ao Curry na brasa ( com limão). E depois uma Costelinha de Porco com Sal , Mascavo e pimenta ( e mais limão) , O tempo fica fechado e conforme o previsto passo a noite junto a família bebendo cerveja e brincando com as fotos ao computador.
Brincado com as fotos 1




 No domingo amanhece chovendo  e parto de volta para a "Capital".
M 16 preguiçosa- 4X 30 seg não foram suficientes nem para a saída...


<a href="http://www.bloglovin.com/blog/18261183/?claim=ewcze9tdxbj">Follow my blog with Bloglovin</a>

Nenhum comentário:

Postar um comentário