sábado, 22 de junho de 2013

Supermoon e o Virtual Moon Atlas

              

               Com a “Supermoon” se aproximando e com minha atual guerra contra os refletores da Obra do Metro aqui em casa não é exatamente o momento para se caçar DSO (Deep Sky Objects ou Objetos de Céu Profundo).
            O termo “Supermoon” ou Super Lua não é um termo antigo. Apenas no final do século XX começou a ser utilizado. Tem uma origem herética e foi cunhado por Richard Nolle, um (arghhh...) astrólogo , ha pouco mais de 30 anos. Mas o termo se tornou popular e a definição de Nolle para uma "Supermoon” é abrangente como deve ser uma previsão astrológica:”. Uma lua nova ou cheia que ocorre com a Lua durante ou próxima (até 90%) de sua maior aproximação com a terra em uma dada orbita”.
            Por esta generosa definição acontece cem varias delas ao ano. Houve uma “Supermoon” na noite de 24 para 25 de Maio.
            Mas agora em Junho teremos a maior “Supermoon” do ano.
            Na verdade o fenômeno é conhecido desde a antiguidade e os astrônomos apenas a chamavam de Lua cheia no perigeu. Acontece que o perigeu não é um valor constante e assim na noite de 23 de Março de 2013 acontecerá a maior aproximação da Lua com a Terra. E assim ela estará a apenas 356.991 km da Terra. E desta forma o disco Lunar será o maior do ano.
            Veremos se será possível fotografar a super “Supermoon” de 2013. O tempo não tem ajudado neste inicio de inverno Senão der também não precisamos nos preocupar. Esta Supermoon especial em que ocorre em comunhão com o perigeu mais próximo do ano se repete como os ciclos lunares e desta forma você terá outra chance muito semelhante em um ano, um mês e dezoito dias. Teremos a Lua cheia acontecendo no “Proxigeo” (o Perigeu “mais” próximo. Não tenho certeza se o termo existe em português. Em inglês se usa Proxigee (...)) em Agosto 10, 2014; Setembro 28, 2015; Novembro 14, 2016, e Janeiro 2, 2018.  Não vai haver uma Lua cheia durante o Perigeu em 2017 porque estes não vão se realinhar até Janeiro 2, 2018. Na foto abaixo você pode perceber bem a diferença do tamanho do disco de uma "supermoon" ordinária e de uma “ Supermoon” super.

            Mas com esse papo de Supermoon passeando pela web e o tempo nublado eu acabei sendo abduzido pelo Uncle Rod e acabei conhecendo a Nova versão do Virtual Moon Atlas. Ainda que não seja a especialidade da casa eu gosto de tempos em tempos dar uma passeada pelos vales e crateras de nosso satélite. O Uncle Rod, em seu post semanal, fala de um Atlas Lunar clássico. O “Atlas of the Moon” de Antonin Rukl. (http://www.amazon.com/Astronomy-Atlas-Moon-Antonin-Rukl/dp/0913135178)
                Custando mais de US$ 200,00 eu não creio que um dia comprarei este clássico.
            Mas no mesmo Post o Uncle no da o Link par ao gratuito e mais tecnológico “Virtual Moon Atlas”. Eu tenho uma versão antiga do mesmo instalada no meu laptop. Resolvo visitar e ver se houve alguma modificação. Foi uma boa ideia

            O Novo “VMA” apresenta varias novidades e aperfeiçoamentos. Este freeware desenvolvido por Patrick Chevalley e Christian Legrand se aperfeiçoou. E sua apresentação se tornou muito mais bacana.
Foi lançada uma edição comemorativa pelos 10 anos do VMA e esta possui diversos novos recursos. Batizada de VMA “Pro” version 6.0 esta apresenta um novo painel de comando, um dispositivo chamado “weblun” que linka o programa aos principais sites da web, sombras mais dinâmica no “terminator”, duas novas texturas com alta resolução e quatro “texturas históricas”: Langrenus, Grimaldi e Cia., mapa geológico e diversas novas bossa.
Usando as Imagens da Clementine como textura..
 
            O mecanismo de pesquisa também se tornou mais fácil e poderoso.
            E o VMA ainda permite que você o configure dentro das possibilidades de seu computador. Quanto mais poderoso seu PC mais visual e gráfico ele se torna.
Lunar Recoinassance Orbiter..Favorito...

            Possui ainda um tutorial bem completo que vai guia-lo sem maiores problemas durante sua configuração.
Artístico...
            Ele permite ainda exportar imagens para você organizar suas observações. Para não falar em uma grande livraria de imagens de alta resolução de diversas sondas lunares. Bem como as fotos de Damian Peach.
            E ele mantém todos os recursos que já eram “de casa”. E assim muitas informações sobre todos os acidentes lunares tanto do lado visível como também do lado oposto da lua.
            A interface é bem amiga e com uma rápida olhada no tutorial qualquer criança será capaz de utilizar o VMA.


            Achei um upgrade bastante eficiente e com o novo VMA creio que jamais comprarei o belo livro do Rulk...  



Nenhum comentário:

Postar um comentário