domingo, 7 de junho de 2015

M 25 - O Aglomerado de Cecilia

         




         M 25 é provavelmente um dos mais interessantes aglomerados abertos de Sagitário. Mas que  novamente por um daqueles acasos sem nenhum compromisso com as leis fundamentais do universo me chamou atenção.
            Mas certos acasos são tão coincidentes que parecem ter algo mais profundo escondido atrás deles. Não tem. Mas que parecem parecem.
            Recentemente participei da filmagem de algumas chamadas para um a TV a Cabo para divulgar uma importante campanha da ON Women (ONU). He for She ou Eles por elas.  Busca dar visibilidade a questão da igualdade de generos.          
          Pouco depois disto fiz algumas fotos desavisadas de M 25. Passeando descompromissadamente com a buscadora por Sagitário logo após de ter fotografado M 8 para o Projeto Lacaille eu buscava M 22 ( Outro Objeto Lacille) para fotografar . Esbarrei em um evidente aglomerado aberto e realizei algumas exposições. Tinha quase certeza tratar-se de M21. Mas estava equivocado. Uma visita ao Astrometry me mostrou isto acima de qualquer duvida... Já o havia observado mas sem muita atenção.
            Como é praxe ,sempre que observo mais a fundo,  fiz alguma pesquisa a respeito e no site de Hartmutt Frommert acabei chegando a uma colocação bastante curiosa a respeito de um dos membros do nosso aglomerado:  " Entre seus membros se encontra U Sagittarii. Uma variável do tipo Delta Cephei , que possui um período de 6.74 dias. Um período tipico para estas variáveis " em nossa vizinhança" como foi explicado por Cecilia Payne."     
            Cecilia Payne (posteriormente Cecilia Payne Gaposhkin) foi um exemplo para a igualdade de gêneros. Mais um membro da linhagem que remonta a Hipatia de Alexandria e que nos lembra que astronomia é um substantivo feminino.  E foi também uma pioneira na luta pela tal igualdade.  Estudante de Cambridge ela viu a famosa palestra de Eddigton sobre a ocultação não tão oculta assim de uma estrela durante um eclipse solar e que comprovou observacionalmente a Relatividade de Einstein.  Isto a marcou. Decidiu a tornar-se uma astrónoma. Como nos anos 20 Cambridge não conferia diploma para mulheres ( só o fez em 1948)  ela migrou para os Estados Unidos em 1923 e adentrou a atual Faculdade de Harvard com de uma bolsa obtida através de Harlow shapley ( diretor do observatório de Harvard) que visava encorajar mulheres a estudar no Observatório. E Assim ela acaba se juntando e obtendo dados junto as "Calculadoras de Pickering". Este era um grupo de mulheres que analisava o espectro de estrelas para Edward Pickering. Estas capitaneadas por Annie Cannon Jump ( criadora da escala de classificação estelar ainda em uso ) e onde Henrietta Lewwit também fez histórias ao descobrir a variáveis cepheidas e sua "habilidade" para determinar distancias no nosso universo. Um grupo que por si só já demonstra quão a campanha He for She é justificada...
            Mas o grande feito de Cecilia é descobrir que as estrelas ( e o Universo) são basicamente compostas de Hidrogênio e Helio. Isto ia contra a crença na época de que as estrelas teriam uma composição química semelhante (inclusive em relação as proporções) a crosta terrestre. Sua tese "Stellar Atmosferes" comprova isto. Mas ela é aconselhada por Henry Norris Russel a renegar esta certeza para não bater de frente com as idéias pré estabelecidas e outros "grandes nomes " de sua epoca. Ela acrescenta uma pequena frase em sua brilhante tese deixando em duvida que as quantidades de hidrogênio nas estrelas derivadas de seus cálculos e experimentos seriam ( ou poderiam ser...) equivocadas. Mas se você ler a tese vai ver que isto é mais uma manobra politica que uma conclusão. Eu li a tese . É um trabalho maravilhoso e mesmo para quem não é do ramo é em muitas partes acessível e esclarecedor. Otto Struve ( das estrelas duplas...) fala que :  "... a mais brilhante tese de doutorado já escrita..."
            Posteriormente Payne é a primeira mulher a ser nomeada professora interina em Harvard . E depois chefe de departamento...
            O remake de "Cosmos" dedica um de seus capítulos as descobertas de Cecilia  Payne, O vi junto com minha filha tentando convence-la de que ciência também é coisade menina depois de um boletim bastante "colorido". Ela parece estar precisando de mais "igualdade de generos" que eu... Muitas coincidências para não me chamarem a atenção.
            E assim volto  a M25 . O aglomerado foi descoberto por Cheséaux entre 1745-46. Messier o inclui  em seu catalogo em 20 de Junho de 1764. posteriormente ele se torno o unico Objeto do catalogo Messier a ganhar um numero IC. O catalogo IC é uma continuação do Catalogo NGC e M25 é também IC 4725. 
            A entrada de Messier em seu catalogo: " [observado em 20 de junho de 1764] Aglomerado de tenues estrelas próximo aos dois anteriores (M 23 e M24) , entre a cabeça e a ponta do arco de Sagitário. A estrela conhecida próxima a este grupo é Flemsteed 21. As estrelas neste aglomerado são dificeis de se observar com um simples refrato de três pés. Nenhuma nebulosidade é visível. Sua posição foi determinada  a partir de m Sagittarii." No IC consta apenas : " Aglomerado , bem condensado".
            M25 é composto por cerca de 600 membros que se espalham por aproximadamente 25 anos luz. cobre 30´ de grau de firmamento. 
            Localiza-lo é relativamente fácil e alguns autores alegam poder perceber membros individuais mesmo a olho nu em locais bem escuros. Acho bastante otimismo... A Magnitude do aglomerado é de 4.6.  Se encontra a 2 mil anos luz da nós.
            O ´Meara nos diz que o aglomerado lhe lembra uma abelha. Não consigo realizar isto. Mas cada um vê o que quer...
            M 25 tem uma idade estimada em 90 milhões de anos. Uma estrela alaranjada que se encontra próximo a este não é um membro verdadeiro e que poderia indicar uma idade mais avançada.

            Localizar M25 não é difícil e em se passeando pela região próxima ao topo do "Bule de Chá" ( Asterismo que identifica a constelação de Sagitário ) com uma buscadora ótica de qualquer tamanho ou mesmo com pequenos binóculos ele vai se destacar.


              Ao contrario das capturas de M7 e M6 realizadas na mesma noite M25 sobreviveu melhor ao ruido causado pelas 6400 ASA. E assim o Deep Sky Stacker aceitou empilhar as 6 fotos feitas dest DSO e não apresentou resultados finais da classe " Desastres Binarios". Apesar de forte vinhetagem foi possivel obter alguns resultados interessantes com o auxilio do Photo Shop. As capturas foram realizadas utilizando uma Canon T3 em foco primario em um refrator de 70 mm f 13 montadas em uma cabeça EQ 3. O Newton ( meu refletor de 150 mm) esta no estaleiro aguardando um novo focalizador .  Abaixo apresento alguns processos de pós e os diferentes resultados obtidos. Tenho estado mais interessado no assunto depois de encomendar uma cabeça HEQ 5 que deverá chegar em julho. Começo a me imaginar capaz de realizar astrofotos melhores e até de me ver fazendo Flat frames , Bias e etc... 
1 frame de 30 segundos - 6400 ASA.

6 frames de 30 segundos + 4 Darks  Com apenas uma correçaõ de RGB no DSS. Forte vinhetagem e muito ruido. E eu de novo com preguiça de capturar flat farmes...

Mesmos frames depois de  cropados e terem curvas , níveis e contraste ajustados no Photoshop. Ainda apresentam ruido e vinhetagem. A foto que abre o post tem um tratamento semelhante mais achei um pouco melhor e apresenta uma área menor de céu... Nenhuma das fotos foi submetida ao Noiseware. Tenho andado com uma certa implicância deste que troca ruido por uma espécie de  "foco doce". Ou Blur ( Borrado)  Gaussiano  como preferem alguns...

           M 25 é um belo e rico aglomerado e que por um acaso eu passei a chamar de o "Aglomerado de Cecilia". Totalmente por acaso...





Nenhum comentário:

Postar um comentário