Translate

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

História do céu Profundo - Catalogos.

A história do céu profundo : Uma linha de tempo dos catálogos de Objetos de céu profundo

• O “Almagesto” escrito por Ptolomeu no sec. II foi um catalogo de estrelas . Porém ele nomeia alguns objetos de céu profundo como a nebulosa de Orion e o Aglomerado de Ptolomeu (M 7).
• Em 1654 Giovanni Batista Hodierna publicou um obscuro catalogo com 40 entradas de objetos nebulosos. 19 se revelaram verdadeiros. Este catalogo ficou esquecido durante muito tempo tendo sido redescoberto apenas no sec.xx.
• Em 1715 Edmund Halley realiza um catalogo com 6 entradas de objetos nebulosos durante sua viagem a Santa Helena. São descobertas originais de Halley Omega Centauro e M13 , o grande aglomerado em Hercules.
• O Catalogo Messier 1783,1784 e 1787 – O primeiro catalogo de céu profundo publicado em “ Connoissance des Temps” . Organizado por Charles Messier este catalogo com 103 objetos ainda é amplamente utilizado e diversos objetos de céu profundo são conhecidos por seu numero M. Estes objetos são teoricamente visíveis com um telescópio de 75 mm sob céu bem escuro. Diversos são visíveis com binóculos de 7x50mm.
• GC-The General Catalog 1863- Organizado por John Herschel (filho de William). Catlogo com 5079 entradas reunindo as descobertas de William e Jon Herschell. A designação GC caiu em desuso sendo suplantada pela NGC.
• NGC e IC catálogos ( New General Catalogo f Nebulae and Star Clusters e Index catalog) – Organizados por J.L.E. Dreyer , um astrônomo Dinamarquês , sob a supervisão da Royal Astronomical Society (Inglesa) . Publicado pela primeira vez em 1888 e reeditado aumentado em 1895 e 1908. Contem 7840 entradas e engloba todos os catálogos já citados. Para se observar todos estes objetos se faz necessário um telescópio de no mínimo 400mm.
• IC 1 – Com Correções e adições ao NGC original contem 1529 objetos e foi publicado 1895.
• IC 2- O segundo complemento foi publicado em 1907 e suas entradas são 3856. A grande maioria descoberta com utilização de placas fotgraficas e muito dificilmente vistas visualmente , ainda que hoje em dia alguma de suas entradas sejam visíveis com o uso de filtros.
• RNGC- É o conjunto dos catálogos NGC ,IC 1e IC 2 revisados e corrigidos ( Revised NGC). Apesar disyo contém muitos erros. 1973 e 1980.
• Após isto a catálogos que revelam objetos raramente vistos pela vista humana.
A diversos catálogos de Nebulosas de emissão:
• Cederblad -1946
• Sharpless- catlogo que relaciona áreas de HIII( H ionizado) 1959 (Sh2)
• Lynds – 1965
• Van den Bergh- chamdo de Vdb 1966
• Gumm –Obscuro catalogo para o Hemisfério Sul

Vale ainda destacar alguns catálogos de galáxias que revelam diversos objetos notáveis porem de difícil observação
• Catalogo Arp de galáxias Peculiares Organizado através de fotos como um atlas por Halton Arp em 1966.
• AGC – Abell galaxy Clusters- catalogo de aglomerados galácticos – George Abell 1958
Este é um pequeno apanhado existindo ainda muitos mais catálogos que foram elaborados ao longo do sec xx. Alguns associados a aglomerados abertos mais conhecidos são :
• Collinder (Cr)
• Berkeley (ber)
• Mellote (Mel)
• Harvard(H)
• Doolitze( Doo)

O mais recente catalogo localizado pelo Nuncius foi o Strasbourg- ESO catalogo de Nebulosas Planetarias.  1992.

Nenhum comentário:

Postar um comentário