sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Astrofotografia, Oculares 40 mm , Poluição Luminosa , Lacaille e a Rua da Passagem

                              


                              Uma das lendas astronômicas mais famosas é ser impossível  observar em cidades grandes.  Trata-se de uma grande bobagem.
                               Segundo uma escala de poluição luminosa , chamada de Bortle devido a seu criador, a escuridão do céu pode ser determinada entre 1 e 9. Quanto mais  alto o valor menos do céu se poderá perceber. Já abordei a escala Bortle  e podem conhece-la melhor clicando aqui.
                               Possuía planos para aproveitar o mês de agosto e revisitar vários alvos do Catalogo Lacaille  nos céus ,  que embora não sejam de um negrume ímpar , de Buzios ( Bortle 5/6).  Meus plano foi destroçado por uma  coincidência (que desta vez até tinha  algo com as leis mais fundamentais do universo) e acabei passando a lua nova acampado na casa de meu sogro no início da Rua da Passagem  . Um local de nome apropriado para se viver um luto. Bem no coração de Botafogo.
                               Rapidamente descobri que a "Stonehenge dos Pobres" como batizei meu observatório  no bairro do Leblon no Rio de Janeiro dificilmente merece o título de "O Observatório mais Urbano do Mundo" com o qual as vezes é tratado neste blog. Na verdade o Observatório do Valongo é muito mais urbano que este e com isto sofre de prolemas de Poluição Luminosa muito maiores que os meus... Não que a " Stonehenge dos Pobres" seja uma maravilha. Mas seu horizonte sul ( ha apenas duas quadras do oceano atlântico) não chega a ser um desastre completo. Devido a geografia após um bafo de sódio, Mércurio e outros vapores iluminando a praia as próximas fontes de luz a poluírem o céu serão  o farol da Ilha Rasa e depois disto apenas  Port Stanley na Ilhas Falklands...  Com o fim das obras do Metro no entorno de meu prédio voltamos para Bortle 7. O Cruzeiro do Sul é percebido com a Intrometida sendo  um membro visível .
                               De volta a Rua da Passagem  vou conhecer o terraço do Prédio. Em um primeiro momento me animo e acho as instalações bem superiores as da "sobreloja" na Stonehenge dos Pobres. Ao anoitecer percebo que nem tudo é o que parece ser. Com a lua nova procuro pelo Cruzeiro do Sul e as únicas estrelas que percebo facilmente na região inteira são Acrux, Gacrux, Alpha e Beta Centauros . No zênite percebo facilmente apenas Marte , Saturno e uma tímida Antares. É difícil localizar constelações que sempre percebi sem maiores esforços.
                               Devido a um vacilo não possuía nenhuma buscadora óptica e apenas com uma velha "red dot finder" acabo me vendo de calças bem curtas na caça de DSO´s em meio a um mar de luz. Novamente devido a uma daquelas coincidências ( que desta vez nada tinha a ver com as leis fundamentais do universo) acabo conseguindo um alinhamento polar próximo ao perfeito com a buscadora polar de Madame Herschel ( minha montagem equatorial HEQ 5 Pro). Não que fosse possível ver alguma das estrelas de Octans Mas com a utilização de minha técnica favorita consegui capturar Sigma Triangulo Australis no exato momento que esta cruzava o meridiano. E mesmo sem tentar muito cravei a latitude daquele telhado que mais lembrava um palco de show de Rock.
                               A seguir consigo a prova cabal que é possível observar mesmo em áreas de Bortle 10 ( a escala original vai somente até 9...) . Uma das primeiras coisas que descobri é que em tais condições possuir uma buscadora óptica poderosa é fundamental. Sem esta me vi obrigado a contar muito com a sorte e com minha paciência para realizar longas caçadas a partir de um ponto aproximado que conseguia com a "Red Dot".  Fosse eu mais verde e menos conhecedor dos céus sobre minha cidade ia ficar muito difícil de localizar algo...  Mesmo assim preferi um passeio bem conservador e me conformei em visitar alvos bem brilhantes e meus velhos conhecidos.
                               Agora venho fazer um elogio a tecnologia. Sem uma cabeça equatorial com Go-to e sem recursos para a pratica da astrofotografia a noite teria sido bem insonsa. Mas mesmo sem uma boa buscadora óptica e assim sofrendo para alinhar o go-to  é possível realizar registros que seriam  muito difíceis de serem obtidos mesmo com grandes telescópios em locais bem mais  escuros ha poucas décadas atrás.
                               Uma ferramenta útil para mim foi minha nova ocular 40 mm. Seu grande campo permite utiliza-la como uma especie de buscadora diretamente na Ocular do Newton ( meu telescópio 150 mm f8) . Aqui acho importante fazer uma ressalva. Oculares 40 mm tem sua funcionalidade mas não são a pedra de salvação para se caçar DSO´s . Comprei esta usada  e por um preço muito em conta . Uma Plossl. Ainda não tinha lido a critica de Harrigton em seu "Starware" a respeito dessas. 

                                Fazendo curta uma história longa eles nos diz basicamente o seguinte : Evite  qualquer Plossl ( um modelo de ocular criado 1860 e popular a pertir dos 1980) de barill 1,25 com 40 mm . Apesar da baixíssima ampliação seu campo de visão aparente é menor que em Plossls 32 mm com 1,25 pol. No final o campo que você vai de fato ver será o mesmo em ambas mas a maior ampliação na 32 mm  vai permitir uma imagem com maior contraste. Alem disto a utilização destas  (40 mm) obriga a manter sua cabeça muito em posição muito  estável para que a imagem não desapareça completamente da ocular ( blackout). Plossls com o barril de 2 pol. são outra história
                               É  uma meia verdade. Com o habito você acaba se entendendo com a ocular e elas são muito baratas. E funcionam bem para caçar alvos e também para grandes aglomerados abertos. As Plêiades pela 40 mm é sensacional. M 44 idem.
                               De volta  poluição luminosa ela afeta suas fotos mas não as torna impossíveis . e com o auxilio de uma câmera é possível  registrar-se detalhes e alvos que são impossíveis visualmente para o astrônomo urbano.
                               Logico que é necessário realizar mais exposições e fazer estas mais curtas. Mas astrofotografia é a maior diversão e  não será Bortle que irá acabar com a única diversão que restou para o mês de agosto que honrou as tradições e  para quem não esta em um espirito muito olímpico...

Serrinha
Rua da Passagem

                               Faço algumas fotos de M7 e percebo que o alinhamento polar esta bem bom. É interessante perceber como 20 fotos de 30 segundos no Rio são diferentes de 10 fotos de 20 segundos na Serrinha do Alambari ...


                                   M 22 foi surpreendende. Tanto visual como fotograficamente foi impressionante como "The Arkenstone of Thrain" sofreu para a P.L.
Ngc 4755 ensaiando o foco ainda....

                               Mas a grande estrela da noite foi M 8 . A nebulosa da Lagoa. om 50 f0t0s de 30 segundos acabou por ser a melhor captura que já realizei desta. Demonstrando como um sensor fotográfico é uma maravilha da tecnologia. Para não falar nos softwares de processamento...

                               Astrofografia é possível em grandes centros bem como a observação visual.  A boa astronomia  é feita a partir de confirmação  de projetos observacionais . E posso garantir que é possivel fotografar e observar todo o catalogo Lacaille do Rio de Janeiro.   Um projeto que me tomou alguns anos mas que considero completo com a imagem de M 8 feita da Rua da Passagem.

O Catalogo Lacaille


                               Espero que quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos tenha a chance de visitar Búzios e ter a chance de vistar as Galaxias em Sculptor iniciar as fotos para o Projeto Dunlop ... Afinal embora seja possível sobreviver a Bortle 9 não é exatamente "só alegria"....  Acho que mais de um terço do Catalogo Dunlop não é visualmente viável do Stonehenge dos Pobres ( o registro fotográfico creio possível). Mas a confirmação empírica é necessária .  Veremos.. 

Um comentário:

  1. Belo registro e montagem do catálogo com os DSOs. Magnífico trabalho e mais uma vez, parabéns pela postagem!

    ResponderExcluir