sábado, 20 de agosto de 2016

M 79: Um Imigrante Galáctico

             

                        Lendo a coluna Strange Universe do Bob Berman de Setembro de 2016 ( é interessante como revistas de astronomia são lançadas sempre com um ou mais meses de antecedência...) na Astronomy Magazine descobri que não é só uma mania minha estabelecer testes ou desafios observacionais junto a ocular. Parece ser uma doença recorrente entre amadores.  Neste mês ele destaca alguns de seus favoritos. Você consegue ver cinco pequenas crateras dentro de Clavius? Ver sete estrelas sem auxilio óptico na Plêiades? Ver Urano a olho nu? E por aí vai...
                               Todos muito interessantes mas sou mais afeito ao céu profundo e em geral gosto de desafios temáticos e a projetos mais longos. Geralmente associados a algum tipo de DSO ou a um Catalogo específico. Sempre tenho alguns em andamento. Tendo terminado de fotografar o Catalogo Lacaille estou com dois novos  me assombrando. Um deles já vai mais adiantado e por isto este post. Pretendo fotografar todos os Globulares do Catalogo Messier. Todos ao alcance de um residente nas terras cariocas. Ao organizar minhas fotos localizei mais um que já visitei e que não prestei o devido tributo por aqui.

                                       E assim chegamos a M 79.
                               M 79 é uma descoberta do sócio menos famoso do Catalogo Messier. Pierre Méchain. Ele o observou em 26 de Outubro de 1780.  As notas de Messier sobre o mesmo são as seguintes:  " Nébula sem estrelas repousando abaixo de Lepus e no mesmo paralelo de uma estrela de 6a magnitude. Visto por M. Méchain em 26 de outubro de 1780. M. Messier o  observou no 17 de dezembro seguinte. esta é uma bela nébula, o centro é brilhante e a nebulosidade levemente difusa. Sua posição foi determinada a partir da estrela de 4a magnitude épsilon Leporis."
                               A estrela brilhante próxima indicada por Messier é ,provavelmente, a dupla h 3752 e é facilmente localizada se esticando por 4o uma linha imaginaria entre Alpha e Beta Leporis rumo ao sul. O globular se localiza a 34´ENE desta.
                               M 79 não é um dos mais brilhantes  globulares do Catalogo Messier. Mas vai se tornando mais e mais impressionante conforme o tamanho do telescópio que se aponta para o mesmo. William Hershel , com seu telescópio de 20 pés achou-o " deslumbrante e extremamente rico. Já Smyth e Webb ( autores clássicos do século XIX) o  observaram como "uma nébula arredondada "blazing" em direção ao centro". Blazing é , neste caso, uma expressão de difícil tradução. Pode significar "em chamas", "queimando" , "resplandecente" ou simplesmente " brilhante" . Todas apropriadas. Pelo Newton ( meu telescópio newtoniano de 150mm F8) o centro realmente se destaca e estrelas começa a se resolver nas bordas. Parecem se irradiar alguns "braços" de estrelas a partir do brilhante e não resolvido centro. Em telescópios maiores ( 250 mm ou mais) começam a resolver-se estrelas em direção ao  brilhante centro. 
                               Burnham no seu " Celestial Handbook" nos diz que que o diâmetro angular de M 79 é de 7.8 ´ . Isto corresponde a um tamanho de 110 anos luz sendo aceita uma distância de 50.000 anos luz. Sua magnitude aparente é de 8.39. É curioso que no mais atual e geralmente mais otimista " Messier Objects" do O´Meara o diâmetro aparente diminui para 6´ a distancia diminui para 43.000 anos luz e magnitude sobe para 7.7. E desta forma podemos assumir que seu tamanho real  é de apenas 75,3 anos  luz. Parece que apesar das diferenças ambos os livros utilizam a mesma forma para determinar o tamanho das coisas. Aplicando os valores de Burnham na formula indicada por O´Meara cheguei a exatamente 113 , 88 anos luz de tamanho. Bem perto...
                               Observei M 79 em janeiro de 2016 e na mesma noite que fotografei a "Cabeça de Cavalo" . Um outro desafio auto-imposto comum a astrônomos amadores. Sobrou pouco tempo para o registro fotográfico do mesmo. 10 exposições de 30 segundos apenas. Estas permitiram capturar claramente o brilhante centro e considerando a analise do "nova. astrometry" o aglomerado espalha alguns membros por aproximadamente 6 minutos grau de minha foto.Ponto para O´Meara.  O brilhante centro não tem mais que 2´em minha foto.




                               De qualquer forma a astronomia é repleta de divergências . No site da SEDS o globular se espalha por mais de 9´de grau e assim ponto para Burnham. Ele ocuparia  118 anos luz de universo...

                               M 79 talvez seja um imigrante na nossa galaxia. Sua posição destoa de outros globulares que geralmente  habitam mais próximos a centro galáctico. Ha fortes indícios que M 79 ( assim como  Ngc 1851 , 2298 e 2808)   seja membro do sistema de globulares da Galaxia Anã de Cão Maior. Esta esta sofrendo um encontro bem próximo com a Via Láctea e se não for totalmente  canibalizada desta vez ( parece estar em estado de continua dissolução) deixará alguns anéis para não perder todos os dedos...   
                            Desta forma M 79 é um emigrante em Cão Maior , um imigrante na Via Láctea e um migrante no universo. 

2 comentários:

  1. Também queria fotografar todos os globulares possíveis na minha latitude (DEC 23°S) e meu setup (SCT 8" com Canon T5). Comecei no vício da astrofotografia somente em Março de 2015 mas já consegui fotografar 28 globulares. São apenas uns 160 na Galáxia. Falta pouco. Rs.
    Marcelo Alves.

    ResponderExcluir
  2. Também queria fotografar todos os globulares possíveis na minha latitude (DEC 23°S) e meu setup (SCT 8" com Canon T5). Comecei no vício da astrofotografia somente em Março de 2015 mas já consegui fotografar 28 globulares. São apenas uns 160 na Galáxia. Falta pouco. Rs.
    Marcelo Alves.

    ResponderExcluir