terça-feira, 7 de junho de 2016

Ngc 4697- Uma Galaxia na Margem Sul de Virgem"

     
   
        Ngc 4697 é  um alvo galáctico dos mais interessantes. Com um brilho de superfície considerável é um alvo fácil e que foge das mais manjadas galaxias Messier no Aglomerado de Virgem. Residindo próxima a Galaxia do Sombreiro ( M 104) nas margens ao sul do conjunto eu nunca tinha ouvido falar da mesma. Mas em uma noite em que lutava contra nuvens e com o auxilio do Stellarium percebi que ela se encontrava em um vazio propicio para um ataque e sendo a entrada 52 do Catalogo Caldwell ( C 52)  deveria ser acessível ao Newton , meu refletor 150 mm f8 .  Com o auxilio de Mme. Herschel ( uma cabeça equatorial HEQ 5 pro da Skywatcher)   eu rapidamente a localizo.  Na noite enevoada  eu estava caçando   estrelas duplas e já me encontrava em Porrima . Mme. Herschel oferece sempre "tours" temáticos no Synscan ( uma especie de computador de bordo) . Estes podem ser "Deep Sky", "Estrelas Duplas" " Estrelas com Nomes " e etc.. Desta forma já havia visitado varias das duplas que se apresentavam no céu. Como já falei vislumbrei a possibilidade de ver C 52. Logo ao lado...
                C 52 é visível , de forma discreta , na minha buscadora. E com o "go-to"  em um dia bastante preciso localiza-la foi "mamão".   

                Trata-se de uma galaxia que assim como nossa ultima convidada ( C 53, The Spindle Galaxy)  no Nuncius Australis habita uma zona fronteiriça na classificação Hubble de galaxias. É uma Galaxia Elíptica ( E 6) quase lenticular ( S0) . Justamente o oposto da nossa ultima convidada. É um interessante exercício compara-las e chegar a suas próprias conclusões. Eu concorda com a maioria e acho que  C52 é uma elíptica (E6) e C53  é uma lenticular pura (S0).
                De qualquer forma Ngc 4697 é  considerada por vários autores uma especie de hibrido. Tanto lenticulares como elípticas podem apresentar um formato de lente mas elipticas puro sangue não apresentam sinais de bojo central , disco ou braços. Uma galaxia elíptica é simplesmente  uma concha  ovalada de antiga luz estelar e cercada de uma vasta coleção de globulares com luz estelar tão ou mais antiga que a mesma. Galaxias elípticas não apresentam grandes ( as vezes nenhuma)  quantidades de gás ou poeira e assim já fecharam ou ao menos diminuíram quase completamente a produção de novas estrelas.  Suas estrelas se concentram em direção ao seu centro ( reparem que não falei núcleo) e sua população é dominada por  estrelas de baixa massa. Como a produção estelar já foi encerrada  estrelas de grande massa já "fumaram" todo seu hidrogênio , Helio e o que mais puderam , partiram para o infinito e viraram constelação.
                Herschel percebeu esta concentração central em Ngc 4697:
"[Observado em24 de Abril de 1784] Muito brilhante , muito grande , repentinamente muito mais brilhante em direção ao centro. Núcleo resolvível. ( H I-39)"
Trabalhada no Photshop e Fits

                Herschel parece ter tido a ilusão de resolver estrelas em seu núcleo. Com a galaxia a 76 milhões de anos luz de nós não só é pouco provável que isto tenha acontecido como é impossível mesmo. Mas perceber uma certa "granulosidade" em galaxias elípticas é um fenômeno comum a diversos observadores e eu mesmo tenho esta impressão em diversas elípticas que já observei. M 87 é um caso extremo deste efeito.  Embora eu não saiba a causa ( acho que ninguém...) acredito que possa ser um efeito dos milhares de globulares passeando ao redor destas. O´Meara prefere acreditar que este efeito seja efeito de estrelas de campo muito fracas que se interpõem sem se revelarem. Quase como uma daquelas coincidências que nada tem a ver com as leis fundamentais do universo.
                Recentemente li uma frase atribuída a Einstein de que "coincidências são a forma que Deus encontrou para permanecer no anonimato". Em rápida pesquisa não descobri nada que prove a existência ou não de Deus nem nenhuma coincidência suspeita. Mas descobri que a frase não é de Einstein e que ele nada tem com isto.  Na verdade a frase passou a ser atribuída ao mesmo com o fenômeno das redes sociais a partir do anos 2000 e sua primeirara aparição foi rastreada até uma pagina adventista. A citação original e que parece ter levado a toda esta história remonta à 1777 ( portanto anterior a descoberta de Ngc 4697) e foi dita por Horace Wallpole: " O que é chamado de coincidência é um instrumento da Providência".
                Ngc 4697 é o primeiro objeto no Catalogo Caldwell localizado ao sul do equador celeste e carrega a enorme honra de ser a única galaxia do catalogo localizada em Virgem. Não me parece uma coincidência . Soa mais como milagre...

                A galaxia é realmente bem brilhante e facilmente acessível a binóculos. Não espere muitos detalhes. Partindo-se de Porrima existe uma corrente de estrelas de aproximadamente 6a magnitude direcionada praticamente norte sul. Com a ultima destas estrelas em campo nosso alvo estará a menos de 40´ a nordeste. 

RnS no Modo Pop Art

                Algum brilho pode ser percebido no setor norte da galaxia. Grandes telescópios podem perceber o que parece se uma estrutura como um disco escondida dentro da galaxia dita elíptica. Há hoje em dia alguns indícios que em meio ao caos das orbitas em galaxias elípticas é possível que existam estruturas inobserváveis e que esconderiam discos e braços onde estes não deveriam existir. A classificação de galaxias e sua morfologia é, como boa ciência, sempre algo em evolução.
Um único frame 30 segundos 3200 asa

                Ngc 4697 apresenta um diâmetro aparente de 7 ´X6´ que demostra bem sua elipsidade. ( Varia de E4 até E6 dependendo da fonte) . Isto representaria uma impressionante esfera amorfa com mais de 150.000 anos luz de antiga luz estelar...

                Um belo, interessante e "fácil" alvo galáctico para possuidores de quase qualquer equipamento óptico.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário