sábado, 9 de outubro de 2010

Astrolog 8 outubro 2010

Astrolog 8/9 de outubro de 2010-10-09


Local: Armação dos Búzios

Equipamento: Binóculo Zenith 20X50

Seeing -3 (1-5)

Transparência quatro (1-5)

Este log. se concentrou especialmente nas constelações de Orion e Cão maior.

A noite começou completamente nublada. Graças ao vento ela abriu por volta de 01h30min AM. Orion começava a nascer a leste . Assim como seu Cão Maior. Enquanto adaptava o olho vasculhei os campos ao redor de M42.

M42 e M43- Especialmente aparente. A noite sem lua permite que se apresente em todo seu esplendor. O maior poder de magnificação (20x) permite notar duas das estrelas do trapézio. Espalha-se por mais de 1 grau. Realmente um dos mais belos espetáculos do céu. Noto claramente a linha escura que separa M42 de 43. Nunca vou entender porque Messier separou estas formações. São claramente membros da mesma nuvem.

Ngc 1981- Estrelas que parecem brotar de M42 (43). É um aglomerado belíssimo com muitas estrelas. Resolve-se facilmente. Estrelas duplas e outras cositas más. Geralmente pouco comentado devido à nobre vizinhança. Esta área é muito agradável de observar usando binóculos. O campo ao redor de M42 forma um dos recantos do céu mais belos que conheço.

Ngc 1980- Compõem junto com o aglomerado anterior o conjunto da obra da espada de Orion. É parte da mesma nuvem de M42 . Algumas estrelas envolvidas se resolvem. É considerado uma nebulosa no Stellarium e um aglomerado com nébula no Cartes do Ciel.

Cr 70 – O catalogo Collinder apresenta diversos aglomerados esparsos. Muitas vezes se confundem com campos estelares. Cr70 compreende as estrelas que formam o cinturão de Orion. Incluem-se Alnilam e Mintaka. Ambas componentes do asterismo conhecido como “as três Marias”. Espalha-se por cerca de 6 graus de diâmetro e é espetacular. Outro alvo perfeito para binóculos. O campo do Zenith apresenta 3 graus de FOV. Assim é necessária uma pequena “escaneada” para percorrer todos os membros deste aglomerado.

M78- Difícil de perceber. Discreto até mesmo com uso de Visão periférica. Contudo retornando diversas vezes a mesma posição percebi aquele leve esfumaçamento. Continuo sem poder confirmar esta observação. Acredito ter percebido, mas acredito que só vou realmente riscá-lo do catalogo usando o 200 mm.

Cr 69- Aglomerado interessante ao redor de Meissa (Lambda Orion). Apresenta-se como um grupo de estrelas alinhadas. Um aglomerado Colinder classico. Bom para binoculos. Veja o desenho que fiz ano passado deste belo aglomerado que se esconde junto a Meissa , uma bela dupla sempre esquecida entre suas companheiras mais famosas :Betelgeuse e Belatrix.Uma jóia escondida na cabeça do caçador.


Com isto se completa a parte deste Log. em Orion. È sempre agradável voltar a vê-lo. De fato é primavera e Orion começa a dominar as horas da madrugada.



Uma rápida visita a Touro antes de visitarmos Cão Maior que ainda ia baixo ao horizonte leste.

M45- Fazia um bom tempo que na visitava as plêiades. Estas são o alvo ideal para o Zenith. Cobrem todo o campo e revelam-se varias dezenas de estrelas.

M1 – Uma rápida escaneada pela região. Não me dei ao trabalho de fazê-la brotar na ocular. É um objeto que sempre me decepciona.

Hyades- É um de meus aglomerados favoritos. Ocupam uma área enorme e Aldebaran faz belo par com elas...

M38 - Vislumbro rapidamente. Esta lá. Uma leve fumaça. Abandono Auriga e parto em direção ao Cão Maior

Sirius- sempre bom visitar a estrela mais brilhante e partir dela para explorar o Cão Maior.

M41 – Há muito não visitava este aglomerado aberto. Não é um alvo tão fácil em ambientes tão Urbanos quanto o Rio de Janeiro. Já de Búzios... Facilmente avistado ainda bem baixo no horizonte. Emoldurado por galhos de uma aroeira. Conforme foi subindo foi se resolvendo mais e mais. Um belo objeto e segundo algumas fontes o objeto mais tênue conhecido na antiguidade.

Ngc 2362 – Pequeno aglomerado ao redor de Tau Canis Major. Havia ouvido mundos e fundos deste aglomerado. Um pouco decepcionante. Acredito que será um alvo mais interessante usando um telescópio.

Cr 132- Um belo campo. Um Collinder clássico. Junto à cauda do cão.

Cr 121- Outro Collinder logo abaixo de M41. Todos os Collinder visitados são bons alvos para Binóculos. Cobrem grandes áreas e são bastante brilhantes.

M47- Em tese está na constelação de Puppis (Popa). Porém é facilmente localizado seguindo-se a linha que liga Miriam (beta cão maior) a Sirius. Resolve se em cerca de uma dezena de estrelas. Um dos maiores prêmios da noite. Jóia da coroa Austral. Catalogo J.E.S.S.

M46- No mesmo campo que M47, formam uma espécie de aglomerado duplo. Muito mais tênue que o anterior. Não se resolve. É bem pequeno.

M93- A cerca de dois campos e meio de M47 apresenta-se como uma área esfumaçada no formato de uma cunha. No limite da resolução na Chega a resolver nenhuma estrela. Outra das jóias da noite.

Os três últimos aglomerados eram uma obsessão para o Nuncius que queria confirmar o avistamento anterior dos mesmos. Agora avistados com certeza o Nuncius continua tentando completar o catalogo Messier.

Esta foi a melhor sessão de observação do Nuncius em vários meses.



O Nuncius não é muito dado a observações planetárias. Especialmente usando binóculos. Mas não posso deixar de mencionar Júpiter dominando o céu. Só avistei uma de suas luas.

Na noite seguinte uma lua começando a crescer tinha como parceira Venus minguando e ver as fases de Venus é sempre uma alegria e me faz lembrar Galileu. Marte tambem compunha com esta lua. Logo acima.

Bons céus (embora o céu seja um só...\

P.S.


Na Noite de 9 para 10 em um horário mais temprano foi possível observar :

M31 – A grande galáxia de Andrômeda, por volta das 23:00 horas , uma nevoa grande na ocular com cerca de 60´de arco . E isto é provavelmente somente seu núcleo mais brilhante.

M32- Um pequeno ponto enevoado acima de M31. Distingui-se claramente. M110 eu não consegui fazer saltar a visão.

Virando-se para o sul, com Achernar como farol:

Depois de um longo “star hooping” acho Ngc 104 ou Tucana 47. Ofuscado apenas por Omega centauro é um aglomerado enorme. Quase no mesmo campo ocular se encontra Ngc 362. Fiquei indo e vindo de um para o outro. Assim você vai perceber quão grande é TUCANA 47. Quantos Ngc 362 são necessários para preencher a área de Ngc 104? Calculei rapidamente algo entre 6 e 8. Ngc 362 nem é tão pequeno, mas ao lado do gigante parece ser apenas uma estrela esfumaçada.

Acredito que as capacidades do Zenith tenham se apresentado na integras nestas sessões. É um bom binóculo . Seu eye relief é bem pequeno tornando necessária limpeza freqüente da ocular devido à extrema proximidade de seus cílios. Acaba por acumular gordura. Seu maior poder de magnificação ajuda a resolver alguns detalhes. Em compensação você tem que trabalhar sempre com um tipo de apoio. Eu o utilizo sempre sentado e o apóio com um mono pé .Este setup é bastante confortável.

Orion começa a despontar. Olho as Plêiades as Hyades e fim. Eu e meu irmão nos recolhemos...

P.P.S - Em uma rápida escaneada por Sagitário , mesmo junto a lua crescente , M22 se faz presente . E a surpresa da noite : M69 . bem tenue mas claramente visível com visão periférica. Mais um do Catalogo Lacaille. Agora faltam só 4 para que o Nuncius aviste todos os objetos deste antigo catalogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário