Translate

quinta-feira, 12 de maio de 2016

The Eyes: Ngc 4435 e 4438

         
    
            Alguns DSO´s (1)  possuem nomes próprios que os tornam personagens quase mitológicos no firmamento.   Geralmente eles são resultados da necessidade humana de trazer coisas tão enormes e distantes  de nossa realidade cotidiana  para algo mais palpável. Também um exercício lúdico.  As vezes a semelhança é inegável... A Nebulosa Cabeça de Cavalo e a Constelação de Escorpião são dois exemplos que me ocorrem quase imediatamente.
            O DSO que falarei a respeito neste post é um destes casos . Responde pela a alcunha de " The Eyes" ( " Os Olhos") . E sem duvida merece o nome.
            Quando você está navegando pelo  mais próximo grande aglomerado de galaxias  ( Coma-Virgo) e esbarra com as evidentes e gigantes galaxias M84 e M86 você também esta ou observando "The Eyes " ou a menos de 30´de grau de o fazê-lo.
            Formado pelas galaxias Ngc 4438 e 4435  "The Eyes" é evidente no Newton ( meu telescópio refletor 150 mm f8) .  Ambas tem um aspecto de espirais e são tão próximas ( 4´) uma da outra que lembram a todos aqueles que as veem  um par de olhos cósmico a nos espreitar.  Quando você olha o abismo ele também te olha... Mas desta vez com consequências bem menos nefastas do que as previstas por Nietzsche.
            James Mullaney ( em seu "The Herschel´s Objects and How to Observe Them) nos lembra que este efeito se perde em telescópios muito grandes já que a separação tende a aumentar muito e  aí a  ilusão se desfaz. Segundo o mesmo telescópios entre 150 e 200 mm são a  melhor  relação " peso-potência" para se olhar olhos nos olhos...
            Dizem que as lendas são mentiras que ganharam a autoridade do tempo. Outros vão dizer que toda lenda tem um fundo de verdade. E assim reza a lenda que quem batizou ( ou pelo menos registrou a patente) " The Eyes" foi  Leland Copeland  em um artigo da Sky and Telescope em 1955.
            A descoberta de Ngc 4438 e 4435 foi realizada por William Herschel em 8 de abril de 1784.   Sua registro é bastante incomum e ele naturalmente percebeu a natureza atípica do objeto . Ele registrou 4435 com H I. 28 1 e 4438 como H I. 28.2 .
" Muito brilhante , consideravelmente grande, arredondada precedendo o norte ( Noroeste) / Brilhante , consideravelmente grande , muito pouco extensa , resolvível ( salteado, não resolvido...) sudeste(?) ( following south)"
                        

            A descrição incomum de Herschel sugere que ele percebeu as duas galaxias como duas partes de um mesmo objeto.  Enquanto H  I 28. 1 é arredondada e com um brilho mais uniforme H I 28 . 2 é maior , alongada e possui indícios de um núcleo.
            Ngc 4438 e 4435 fazem parte da Corrente de Makarian ( um sub grupo dentro da aglomerado de Virgem que possui diversos parâmetros astronômicos e cosmológicos em comum...) . Se encontram a cerca de 55.000.000 de anos luz. Ngc 4435 tem uma magnitude de 10.8 e é uma lenticular barrada ( SB0 ).   Ngc 4438 é um agalaxia lenticular peculiar (SA0/peculiar) . Mais brilhante tem magnitude de 10.2.  
            Ngc 4438 é certamente a vedete do grupo . Sendo uma "espiral" bem perturbada é uma das maiores atrações do Aglomerado.  Suas estrelas são evidentemente perturbadas e retorcidas pela gravidade associada a um esbarrão cósmico com outra galaxia. Tanto que esta  ganhou seu lugar no "Atlas Arp de Galaxias Peculiares" . Uma espécie de show de horrores cósmico que reúne diversas galaxias com características bem especias e que sustentariam uma opção para o Big Bang. Ela é Arp 120. As ideias de Arp nunca foram levadas muito a sério mas o Atlas é sensacional e observar todo o catalogo um senhor desafio...

            Mas mais ainda perturbado é o gás de Ngc 4438. Este choque gravitacional  "empurrou" o gás para oeste das estrelas e o o aqueceu.  E isto os leva  duas questões bem pertinentes e levantadas por Jeffrey Kenney ( Yale) : Com quem Ngc 4438 colidiu? Porque o gás foi tão afetado?
            A proximidade de Ngc 4435 a coloca na linha de frente dos suspeitos. Mas sua estrutura não é nem de perto tão afetada como a de 4438. E 4438 é uma galaxia bem maior que ela. Possui 140.000 anos luz.  Um outro problema é quem ambas possuem redshift diferente e o encontro teria que ter ocorrido com velocidade impressionante. O estrago em 4435 teria de ser considerável.
            Pesquisas atuais ( suportadas por observações) indicam que 4435 provavelmente sofreu um encontro com M86 no passado. Esta sim uma besta-fera capaz de aquecer os gases e distorcer, dobrar e arrebentar com 4435. Uma tremenda covardia. Kenney encontrou  " filamentos monumentais" de Hidrogênio ionizado ( 400.000 anos luz)  ligando ambas a galaxias. Estes são umas das "mais   claras evidencias de colisões em alta velocidade de galaxias".
            É atualmente aceito que houve uma interação entre as três galaxias a milhões de anos atrás. Gás foi "estripado" M 86 bem como de 4438 enquanto a menor e menos maciça 4435 perdeu parte de seu gás mas não sua fisionomia. Diversos papers estudam as interações do meio intergaláctico na região e o tópico é bem animado no meio...  A alta densidade de galaxias por estas bandas do universo suportam bem a hipótese de interação gravitacional entre estes três membros da Corrente de Makarian.
            Ngc 4435  é uma das chamadas ETG´s ( early type galaxies) e se inclina 45 graus de nós. Seu boje central e núcleo dominam a paisagem e ela é  envelopada por uma nebulosidade esférica. Ela apresenta indicio de formação estelar e estudos com o Spitzer Telescope indicam que este " starburst" teve seu pico a cerca de 190.000.000 de anos e o período dá suporte para a hipótese de interação com 4438.
            ETG´s são também um tópico bem em voga e são fundamentais para o estudo da evolução galactica em aglomerados. Voltaremos a falar delas ...
            A observação visual do "Olhos" é bastante divertida. embora não se perceba tantos detalhes como em astro fotos ( mesmo que modestas) é possível perceber bastantes detalhes e o conjunto da obra merece o nome. É uma satisfação perceber ambas as galaxias em um mesmo campo mesmo com grandes aumentos . 120 X ou mais . O "Newton" possui uma distancia focal de 1200 mm.   Localizar " The Eyes" é  basicamente localizar M 84 e M86. Navegar sem uma cabeça com go-to pelo aglomerado de Virgem é um exercício para céus escuros e olhos relativamente treinados. Mas nada que vontade e paciência não resolvam.  Todas as galaxias aqui citadas estão ao alcance de binóculos 15X70 ou menores. Mas não espere perceber muito mias que seus núcleos disfarçados de tênues estrelas. São alvos telescópicos...
             Você vai perceber diversos "esfuminhos " na região utilizando uma ocular wide field. Com minha 40 mm você  vai caçar "The Eyes" nesta paisagem. Depois troque a ocular e use mais aumento.  
"The Eyes" são os dois esfuminhos a esquerda do centro da foto. Este é o resultado de uma única exposição de 30 segundos  asa 3200

                    

            As fotos aqui apresentadas foram feitas com ele e uma câmera Canon T3 montados sobre Mme Herschel ( uma cabeça equatorial HEQ 5 pro ) . Foram realizadas 40 exposições de 30 segundos com ASA 3200. 10 black frames. 
            Todas elas são resultado de processo ou de crop ( Photoshop) ou de drizzle ( DSS) realizados da foto acima   que cobre a região a leste da Corrente de Makarian.  
            Utilizei ( juntos , misturados e em solitário...) os seguintes softwares de processamento : Deep Sky Stacker, Rot n Stack , Fitsworks, Photoshop e Noiseware.



Nenhum comentário:

Postar um comentário