Translate

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Ngc 253- A Grande Galaxia de Escultor

                


                 A observação visual de galaxias em pequenos telescópios é uma arte que é parente próxima das obsessões e monomanias tão citadas por Simão Bacamarte  em um dos contos mais divertidos do Mago do Cosme Velho ( Joaquim Maria Machado de Assis) . Como a busca destes universos ilhas , com muito poucas exceções,  demanda céus mais escuros que os de meu Rio de Janeiro querido geralmente preciso ir para Búzios realizar a caça. Talvez por isto sempre que penso em galaxias me recordo do "O Alienista" e da máxima de Simão Bacamarte ( O Alienista do título) : - A ciência é meu emprego único ; Itaguaí o meu universo . 
                Na verdade toda esta história  faz parte de um folclore familiar e de um terrível mal entendido geográfico. A caminho de Búzios se passa por Itaboraí. Mas esta  sem graça cidade fluminense assim como Itaguaí possui também uma casa de Orates.  Que em vez de ser chamada de Casa Verde é chamada de Clinica Ego . E sempre que minha filha  vai a Búzios vem a tona o velho sonho de se ter uma casa na serra com Cavalos, céus muito escuros  e outras cositas mais . Eu entendo o desejo ingênuo  dela e dou maior apoio. Mas lembrando sempre de minha pindaíba aviso que na atual conjuntura uma Casa na serra só se for pintada de verde. Seria um desvario... Da mesma forma que querer ver galaxias distantes em modestos telescópios.
                Buscar por  Ngc 253 talvez não garantissem uma visita forçada a Casa Verde. É uma das galaxias mais brilhantes dos céus e com um brilho de superfície relativamente alto apesar de seu grande  tamanho aparente   ela é facilmente percebida mesmo com visão direta e em céus nem tão generosos. Buzios atinge 6 na escala Bortle de Poluição Luminosa ( Subúrbios Claros) ela se apresenta até mesmo com alguns detalhes no Newton ( um telescópio refletor de 150 mm f8) .  Com Magnitude de 7.1 e um brilho de superfície de 13.2 ela é generosa com amadores.
                O´Meara nos diz que  "... de vislumbre a galaxia parece com o inicio da ordem inicial emergindo do fervilhante caos ".
                Localizada a 9.8 milhões de anos luz do nosso grupo local Ngc 253 é a galaxia mais brilhante do Aglomerado de Escultor. É o aglomerado galáctico mais próximo de nosso grupo.

                Ngc 253 foi uma descoberta de Caroline Herschel . A mesma que batiza minha cabeça equatorial e irmã de William.  Em seu primeiro catalogo " A Thousand New Nebulae" William nos diz: " Esta nebulosa foi descoberta por minha irmã Caroline Herschel,  com um excelente pequeno Newtoniano de 27 polegadas de distancia focal e com ampliação de 30.1 que possui entalhadas as iniciais C.H. de seu nome."  Caroline utilizou este telescópio para realizar varreduras dos céus entre  1782 e 1783 em busca de cometas. Herschel registrou o objeto em 30 de outubro de 1783.  Coube ao sobrinho de Caroline , John Herschel, observando a partir da Cidade do Cabo descrever a galaxia em detalhes. Em novembro de 1835 ele diz "  levemente raiada e nodosa em sua constituição e talvez seja resolvível".
                É lógico que Herschel ( filho) não resolveu estrelas individuais em Ngc 253 . Mas é compreensível ele ter esta impressão. Eu mesmo a tive com o uso de visão periférica. O efeito é bem comum em galaxia elípticas.
                Ngc 253 ´uma espiral barrada e uma das mais fáceis de ser percebidas visualmente. Muitos livros comparam Ngc 253 com M 31 ( a grande galaxia de Andrômeda)  mas creio que o único fato para tal é que ambas são facilmente observáveis com pequenos telescópios.  Com 54 mil anos luz de extensão e uma massa total de cerca de 75 bilhões de sóis  ela é  2 , 5 vezes menor e 4 vezes menos maciça que M 31.

                Ngc 253 é ainda uma galaxia "starburst". Possuindo muito gás em seus braços ela produz estrelas em um passo 4 vezes maior que a maioria da espirais.  Especialmente junto a região mais próxima a seu núcleo.  Em seu núcleo habita um gigantesco aglomerado estelar parecido com a Nebulosa de tarantula na grande Nuvem de Magalhães. Esta uma região muito dinamica onde surgem aglomerados de estrelas jovens mas com massa e características semelhantes aos anciões aglomerados globulares. São elos na evolução do universo muito interessante e alvo de muitos estudos recentes.  estes surtos de nascimento estelar são , geralmente, resultado da interação de galaxias. Isto deve  ter acontecido entre 100 e 150 milhões de naos atrás. A outra galaxia envolvida não é conhecida e provavelmente e o surto é fruto da absorção da mesma. O mais recente surto de nascimento estelar deve vir se desenrolando por cerca de 20 a 30 milhões de anos. Aglomerados muito jovens foram registrados pelo Hubble Space telescope.  Ngc 253 é  mais precisamente uma espiral mixta ( SABc). Algo entre uma Espiral "grande design" e uma barrada.
                Em latitudes austrais Ngc 253 é uma das grandes damas da noite e é possível desconfiar de sua presença mesmo a olho nu de regiões e céu muito escuro. Tive este prazer a partir da Serra da Águia Branca ( S.C.) .  Desta forma ela se assemelha muito a M33. Mas M 33 é definitivamente um alvo mais difícil de ser observado. Em Búzios M33 é um objeto dificílimo e que só se apresenta com visão periférica e mesmo assim para quem já tem uma certa pratica observacional. 253 é acessível aos mais neófitos.

                Localizar a mesma céus suburbanos não é tão fácil quando se poderia supor a partir deste depoimento.  Olhe bem o mapa e calcule a posição a partir de Diphda e Alpha Sculptoris. A região não é muito povoada e como  a galaxia se revela discretamente mesmo para binóculos uma tentativa de aproximação e erro costuma funcionar bem. É comum se esbarrar em Ngc 288 ( Um globular ) quando se parte de Alpha Sculptoris. A Galaxia tem quase 30´ de tamanho aparente e não se confunde um com o outro nem com muita vontade. Em meu 7X50 ( binoculo)  posso enquadrar 253 e 288 juntos. Com isto é possível comprimir mais de 9.000.000 de anos luz em um único campo visual. Um conceito de 3D que deixaria os realizadores de Hollywood morrendo de inveja...
                Ngc 253 é popular e possui vários nomes. A Grande galaxia de Escultor é o mais famoso. Mas A Galaxia "Moeda de Prata" é tão ou mais apropriado. ( The Silver Coin). É  também a entrada  de numero 65 da Catalogo Caldwell ( C 65) , uma lista observcional organizada pelo finado Patrick Moore.
                Em fotografias mais esmeradas que as que realizei ela revela muito s detalhes. densos nós estelares onde habitam os novos aglomerados citados são evidentes. Com paciência e insistência estas estruturas são espíritos insistente para observadores visuais aplicados.
1 unica exposição de 30 segundos. É muito semelhante ao que você ver´com visão direta em uma ocular wide field.

                As fotos  que ilustram este post foram fruto de algumas dezenas de exposições de 30 segundos ( algumas 25 e outras 32...) com ASA 3200 em uma Canon T3 sem modificação alguma. O telescópio utilizado foi um newtoniano 150 mm f8 montado em uma HEQ 5. Sem acompanhamento. Passaram por diferentes processos de "revelação". Foram utilizados programas como o DSS ( Deep SkyStacker) , Rot n´ Stack , Fits , Photoshop , Noiseware e talvez mais alguma coisa...  Foram utilizados dark frames também.
                Nestas é possível perceber bem os dois braços principais e seu ativo núcleo. A estrutura nodosa e fruto do seus numerosos aglomerados também se apresenta timidamente. A granulosidade que deve ter dado a Herschel sua sensação de resolver  estrelas é bem evidente.

                A Moeda de Prata é um dos mais interessantes alvos extragalácticos da primavera e de todo céu Austral . E visualiza-la não irá colocar em risco sua sanidade nem sua paciência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário