quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

O Deep Sky Stacker e a Vingaça da Tarântula

      
     

          No ultimo post falei sobre a Nebulosa da Tarântula. Ngc 2070. Tratando-se de um DSO extra galáctico não é exatamente  um objeto simples de ser fotografado. Especialmente em condições de forte poluição luminosa como no "Stonehenge dos Pobres". Nada como os aglomerados abertos tão mais comuns no Catalogo Lacaille e consequentemente a especialidade desta casa. A Tarantula foi um dos últimos membros do catalogo a ser registrado...
            Caso queira saber mais sobre os DSO´S da Grande Nuvem de Magalhães clique aqui. Ou aqui.http://www.mnassa.org.za/html/Feb2011/2011MNASSA..70..Feb..29.pdf
            Este post é dedicado para aqueles que se interessam pela tal da  astro fotografia e desejam tomar pé sobre as capacidades do Deep Sky Stacker  e  seus poderes para revelar o universo.  Pressupõe também algum conhecimento prévio sobre a matéria...
            Como ha séculos não fotografava DSO algum e muito menos "brincava de laboratorista" com meus programas cometi uma injustiça.
            Todas as fotos apresentadas no ultimo post foram "empilhadas" (stacking) com o auxilio do Rot and Stack (RnS).
            E  falei que o Deep Sky Stacker (DSS) é um programa cheio de manias.
            Não chega a ser mentira. Mas em nome da justiça não posso deixar de dizer que apesar disto ele é um programa muito mais poderoso que o RnS.
            O RnS é um programa amigo de  iniciantes e de preguiçosos. Mesmo sendo necessário um numero muito maior de "clicks" de mouse para determinar os pontos de alinhamento em cada um dos frames a serem alinhados ( ele possue a opção de determinar de forma automática os pontos de alinhamento, mas não recomendo...). No caso de nosso post anterior significaram 140 clicks para 70 frames. Mas ele permite que a preguiça se apresente de outra forma. Sendo um programa bom para os iniciante ele irá empilhar qualquer coisa que você ofereça pontos para sua orientação ( são os 140 "clicks" que falei). Fora isto ele dispensa foco, alinhamento polar , dark , flats e cia LTDA. no momento da captura de suas imagens. Um programam bom para preguiçosos e sua interface é a prova de imbecis...
            Abaixo alguns dos resultados obtidos com ele. Percebam que a foto do modo Sort parece boa. Mas é também atingida por muita "pirotecnia"... De qualquer forma aí estão todos os 70 frames que mandei empilhar. Obediente...
Este é o resultado de horas de processamento posterior ao stacking feito no RnS
               
Modo Mean do RnS. O mais reaalista...

Modo Sort

               Já o DSS demanda e oferece mais finesse.
            No post passado eu me encontrava por demais afoito em fotografar algo e ver resultados. Desta forma o DSS simplesmente me ignorou e apesar das tentativas os resultados finais não apresentavam nenhuma imagem sequer semelhante a Ngc 2070.
            Logo apelei para o RnS e consegui minhas fotos e meu post ha tanto sonhado. Os últimos meses foram uma maratona de trabalho e o Blog assim como os céus se encontravam bem abandonados.
            Não podia me deixar ser vencido pela mãe de todos os vicios e assim com mais calma resolvi obter uma foto digna da Tarântula utilizando o DSS como laboratório.
            A primeira coisa foi obter Dark Frames. 25 deles. E também 15 flat frames.  
            È claro que como quase tudo aqui no Nuncius Australis eles não foram obtidos pelo método indicado pela mídia especializada e nem pelo bom senso. Os Black frames foram simplesmente obtido com a tampa da lente montada em minha 50 mm. E os flats foram feitos embrulhando a câmera com sua 50 mm em uma camisa branca e apontando para uma lampada Day Light que mora em meu quarto...
            O DSS possui varias opções de calibragem para realizar o stacking no menu "Parâmetros de Integração". Em primeiro lugar eu alterei o método pelo qual o programa determina o resultado final do processo de empilhamento ( stacking). Mudei a configuração do modo standart para o modo de Intersecção. Este era mais apropriado para as fotos que obtive e com um acompanhamento dos mais medíocres. Desta forma garantiria que alguma coisa estivesse alinhada com a mesma coisa na coleção de frames bem diferentes uns dos outros.

            Depois alterei o  o modo Light de Kappa Sigma para Proporção. Não sei o porque . Foi mais um sentimento e o fato de que na véspera utilizara o Kappa Sigma com resultados nefastos...
            Por fim  fui no menu "registrar configurações". E na aba " Avançado" baixei a detecção threshold  da estrela para apenas 4%. Mais que isto e o DSS não aceitava empilhar nada... Cheio de frescura.

            Com isto e sem medo de ser feliz mandei empilhar tudo... 69 frames de light,25 darks e 15 flats.
            Depois de muito minutos de processamento o DSS fabricou um Master dark e um master flat os quais foram subtraídos dos 28 melhores light frames escolhidos por ele e me deu um resultado que se não bom pelo menos aceitável.
            Depois disto esta foto ainda visitou o Photo Shop CS5 e o Noiseware.  Não utilizei o IRIS , mas ele seria capaz de gerar um fundo negro para foto e disfarçar a vinhetagem. Para saber mais sobre estes e outros programas clique aqui.
            Depois disto tentei varias outras combinações mas a única que apresentou um resultado ( ainda que pífio) aceitável foi utilizando no modo Light dos parâmetros de integração o método High Entropy. Mas como podem perceber o  ruído foi parar na lua.. Com o Auxilio do Photoshop e do Noiseware as coisas ficaram um pouco melhor. Neste método o DSS só empilhou 19 dos 69 light frames...




           E com o Kappa Sigma os resultados , mesmo utilizando Darks e Flats , foram abaixo da critica. Melhor dizendo : da autocritica...
           
            Os resultados obtidos com o DSS são sempre mais naturais que os obtidos com os algoritmos dos Rns. O Modo mean do RnS é o que mais se assemelha aos resultados do DSS.
             Acredito que se possuísse um equipamento melhor ( uma cabeça equatorial mais solida e precisa...) eu usaria mais o DSS. Mas no meu humilde set up o RnS se encaixa melhor.  É fundamental lembrar que ambos tem uma relação de dependência com outros programas. O Photoshop (ou o Lightroom ou o GIMP e etc...)  é fundamental para o tratamento após o processo de stacking. 
            
Ngc 2070 - 28 de 69 light frames de 10 segundos de exposição+ 16 darks+ 12 flats- ASA3200 empilhados no DSS. Posteriormente a imagem foi submetida ao Photo shop CS 5 e o Noiseware.
Canon T3 + Newtoniano 1200mm 
P.S.      Combatendo o maior de todos os vícios em doses homeopáticas levei o produto final mais bem acabado obtido com o DSS e que já havia visitado o PhotoShop e O Noiseware algumas vezes para fazer um tour pelo IRIS. Este é um progrma bastante  complexo mas que realiza diversos milagres. Depois de conseguir um fundo sintético para a nossa foto de Ngc 2070 ele conseguiu eliminar a vinheta e uma parte do ruido pré-existente. Mais uma visita ao Photoshop e é este o resultado final da peregrinação de nosso light frames. ( acrescente isto aos 160.000 anos luz que estes já haviam viajado e tenha uma ideia de quão longa é a jornada deste fótons até você...)          


Com visita ao Noiseware...

Sem visita ao Noiseware...

         Ainda acho que o DSS vai requerer mais estudo e prática de minha parte para que se torne a primeira opção aqui pelo Nuncius Australis. Mas os resultados são muito mais naturais e a razão sinal é incrementada de uma forma muito mais bem feita que no RnS. 

                .




Nenhum comentário:

Postar um comentário