Translate

quarta-feira, 13 de abril de 2016

M 83: A Galáxia do Catavento Austral

           


               M 83 é considerada uma das maiores atrações do céu Austral. Conhecida como a "Galáxia do Catavento do Sul" é um dos alvos mais tradicionais em quase todos os guia observacionais . Foi a primeira galaxia observada além do grupo local. Anteriormente se conheciam M 31 e M 33.  ( As Nuvens de Magalhães  também. Mas apesar de galaxias, devido a sua  quilometragem, são de outra casta.) .
                Foi uma descoberta de Lacaille e considero o feito um dos maiores da astronomia observacional. Lacaille possuía lunetas mais modesta que minha buscadora (10X50 mm) . Passei cinco anos de minha vida aprendendo a observar   DSO´s ( uma sigla e um  anglicismo para Objetos de Céu Profundo . Deep Sky Objects...).e posteriormente a realizar modestos registros fotográficos  destes. Por uma daquelas coincidências que tratam das coisas do universo mas nada tem a ver com suas leis fundamentais acabei decidindo que observar e registrar o Catalogo Lacaille seriam um bom começo. Provavelmente devido a razões cronológicas e geográficas. O Catalogo Lacaille foi o maior registro de Nebulosas até o meio do Seculo XVII ( 1752 ele sai da Cidade do Cabo...) e foi realizado pelo homem que criou o planisfério hoje adotado para o Céu Austral. Criou constelações e desmembrou a maior constelação do céu. Argos.
                Foi ele que descobriu e registrou pela primeira vez a posição de M83.  e como falei me custaram 5 anos para observar e fotografar M 83. O nome M83 vem do segundo homem a registrar a galaxia. Messier é o autor do mais clássico Catalogo de Nebulosas.
                Apesar de cantada em prosa e verso por autores mais modernos localizar , observar e perceber detalhes em M 83 com telescópios amadores é uma considerável realização.
                Diversas observações e descrições históricas comprovam isto.
                Lacaille operando milagre nos deixa a seguinte descrição.: " Nébula sem forma." . Sempre muito conciso.( 23 de fevereiro de 1752)
                Messier nos dá uma idéia mais clara do desafio que é observar M 83  visualmente e do grande feito de Lacaille com uma luneta de 7X 30 mm. :  " Fevereiro  17, 1781 -Nebulosa sem estrelas próxima a cabeça de Centaurus; surge como um fraco e homogêneo brilho,mas é difícil de se ver ao telescópio , tanto que qualquer luz a iluminar os fio dos micrometro a fazem desaparecer. Alguém só e capaz de vê-la com a máxima concentração: forma um triangulo com duas estrelas com magnitude estimada de 6a e 7a. Sua posição foi determinada a partir das estrela i , k e h da cabeça de Centaurus. M. de la Caille já havia determinado sua posição.
                A descrição de Messier comprova o feito de Lacaille. E creio que sua descrição é uma das mais expressivas para o observador amador que luta contra céus poluídos.
                Dunlop durante seu levantamento em Paramatta , Nova Galês do Sul na Austrália e em 1827 tem uma percepção bastante completa e curiosa da mesma: " 185 Centauri ( Bode) é uma muito bela nebulosa arrendondada com um um núcleo ou disco planetário  brilhante  ebem definido , com 7´´ ou 8´´ de diâmetro, cercado por um atmosfera luminosa ou "chevelure" ( cabeleira) com com 6´de diâmetro. A matéria nebulosa é levemente mais brilhante em direção as bordas do disco planetário, mas muito pouco. Eu posso ver diversos pontos minúsculos ou estrelas na cabeleira, mas não considero eles indicação de que seja resolvível, embora não tenha duvidas de ser composta de estrelas. 5 observações."
                John Herschel também a observou e a chamou de Bode 185. É evidente que Bode a inclui em seu catalogo. Porém é curioso que na copia que obtive deste ela habite a entrada de numero 15.. Bode 15...
                Herschel  pai ( William) também a observou. A considerou uma estrela nebulosa.
                Lassel percebe sua estrutura espiral e percebeu três braços . Deixou-nos um rustico desenho.
M83 é o terceiro desenho de cima para baixo e do lado esquerdo da imagem.( Lassel)

                Autores contemporâneos tem uma visão bem mais otimista de como M 83 é observada .
                O sempre otimista e talvez  ciborgue O´Meara,em seu "Deep Sky Companions ; The Messiere Objects"  no diz o seguinte: " Em meu local de observação M 83 é uma forte condensação no meu 4 polegadas ( um Televue...) com pouco aumento. , fácil em binóculos , no limite da visibilidade a olho nu."
                Perceber M83 a olho nu é uma tarefa ingrata para Steve Austin , o homem de 6 milhões de dólares. O´Meara observa de um sitio a quase 3000 metros de altitude na encosta do vulcão  onde habita o Keck telescope. Escuro pacas... Mas já mordi a língua duvidando dele ( Ngc 6124).
                M 83 é considerada uma galaxia intermediaria, algo entre uma espiral clássica "Grand Design"  e uma barrada.  Vaucouleuers a classificou com SAB c. Sua intricada um pouco distorcida  estrutura espiral pode ser atribuída a interação ou colisão causadora de marés  com a modesta e elíptica galaxia Ngc 5253.  M 83 é a feliz proprietária de seu próprio grupo galáctico no qual esta incluída Centaurus A ( Ngc 5138) .  Em exposições longas e de grandes telescópios se percebe nós azulados e avermelhados ao longo de toda a galaxia. São regiões de estrelas jovens (azuis) e avermelhadas ( nebulosas onde esta havendo criação de estrelas).  M 83 ainda foi a galaxia que carregou  o título de maior possuidora de supernovas registradas em período histórico. ¨no total sendo a mai brilhante em 1968 com magnitude 11. foi descoberta por um amador (John Bennet)  na Africa do Sul. Berço do Catalogo Lacaille.
                Phill Harrington é mais modesto. Nos diz que M 83 é um alvo viável para quase qualquer binoculo e que esta pode se tonar um alvo favorito para quem usa os dois olhos. O campo ao redor faz bela composição.  E propõe um star hooping saindo de Spica ( Alpha Virgo) ,passando por Gama Hydra e seguindo por obscuras estrelas fracas que podem vir a formar um padrão de ponta de flecha.  Nada a ver...

                É um caminho improvável para habitantes de latitudes austrais. Nosso caminho obvio e nem tão longo começa em Iota Cen e segue pelas estrelas i,k e h usadas por Messier para determinar a posição de M 83.   Segundo o Harrington localizar M 83 é possui um "finding factor " de  três estrelas. A escala vai até 5 sendo cinco trabalho mediúnico...
               
                Ha anos estabeleci  como objetivo observar e fotografar o Catalogo Lacaille. M83 foi o ultimo dos objetos que consegui observar e o penúltimo a ser fotografado.  Depois de varias tentativas frustradas e afins decidi acabar com a partida. M 83 era o ultimo passo da trilha. Atitudes foram tomadas e me despenquei com toda a parafernália  e mais a família em busca de céus escuro.  Lua nova na Serrinha.
                Depois de alguns percalços chega o momento do ataque. Achar M 83. Sem purismos mas nem por isto tão fácil ( nada é fácil em astrofotografia) uso uma cabeça equatorial com "go-to" HEQ 5 pro. Ainda que meio desequilibrada devido a um vacilo meu ela torna as coisas  bem mais fáceis que realizar um Star Hooping em busca de uma assombração . M 83 tem uma magnitude anunciada de 7.3 ( ha registros mais antigos e mais ao norte que falam em 10) mas apresenta um baixo valor de brilho de superfície. É como se o brilho de uma estrela de 7 mag se espalha-se por uma área de  maior que a lua cheia. ( 1102 min).
                Com a vitima supostamente dentro do campo de visão da buscadora ( a cabeça esta operando em modo de segurança...) eu tento escanear a região com minha 25 mm. Sei que o método não é eficiente mas as vezes a Dona Fortuna colabora e o alvo aparece em meio ao passeio.   Não desta vez. Assim acho que acreditar que o go-to tem precisão na casa de 5o  é uma boa ideia. Me lembro que Lacaille localizou M 83 com muito menos poder de fogo que minha buscadora. Utilizando todos os truques que conheço ( respirar fundo, piscar, , bater na buscadora e etc...) acabo percebendo quase nada. Algo entre uma estrela muito fraca e nada...
                Centralizo "a quase nada" na buscadora.
                Com concentração "shaolin" percebo apenas um estrela levemente cabeluda.A foto abaixo é uma única exposição de 20 seg. com ASA 3200.  É por isto que você procura inicialmente.

                Vou insistindo e com visão periférica percebo uma condensação muito fraca levemente oval. Conforme vou insistindo ( sempre com visão periférica ) a coisa vai se tornando mais elaborada. Com alguma boa vontade , tempo e muita visão periférica percebo com o rabo de olho quase isto...
                         

  No fim de tudo  acredito ter percebido a estrutura barrada de M 83. E uma suspeita do terceiro braço. A foto abaixo revela bem ele mas as custas de muito ruído.
                          

                        Para realizar as fotos acima tive que primeiro fotografar a moça.
                 Começa o jogo.  Com tudo preparado instalo a câmera e busco garantir que algo seja exposto de forma aceitável . Assim com  ASA bem alta (6400) e apostando em  exposições  mais curtas para garantir que o acompanhamento seja no minimo razoável dou a saída.  
                Vejo a primeira foto. Percebo que algo foi registrado no entorno do núcleo que agora é bem evidente.  Faço mais algumas dezenas de fotos. Depois disto realizo a mesma operação com a ASA um pouco mais baixa. 3200. Gostaria de trabalhar em 1600. Mas o tempo urge e não sei quando vou poder voltar a céus tão bons. Ainda quero fichar mais elementos na noite...


                M 83 é um alvo visual difícil. Requer varias estratégias e batalhas. Suas fotos não foram diferentes.

                Com dezenas de fotos entre 3200 ASA e 6400 ASA eu imagino utilizar o Deep Sky Stacker para empilhar uns e outros separadamente  e ver o melhor resultado. Mas ambos os casos acabam em um de meus desastres binários e não tem nenhum valor. 

desastre binário



                Começo a me preocupar . Mas ha mais coisas e  aterra e o ar que os aviões de carreira , como dizia o Barão de Itararé.  Me restam o fitswork e o rustico Rot n´Stack.

                "Verás que um filho teu não foge a luta  e o conjunto fez as fotos que o DSS renegou". Com mais auxilio do Photo Shop achei até bom os resultados.  As imagens abaixo revelam detalhes  muito além do que percebi em todas as combinações oculares tentadas.
favorita...
                As outra fotos são resultados de diferentes processamentos.







                           








Pop Art

                Pretendo um dia fazer varias horas de exposição em M 83. É evidentemente uma  bela e tímida musa...
               

                 

Nenhum comentário:

Postar um comentário