terça-feira, 22 de julho de 2014

A Galaxia de Espinosa

                                     
      O inverno não tem sido muito amigo da observação astronômica no Nuncius Australis.
                       Com a copa do mundo e eu  envolvido em um projeto publicitário bastante original e  minha cara metade as voltas com um grande evento para uma multi nacional a "Stonehenge dos Pobres" e as crianças ficaram um pouco largadinhas. Quanto as crianças tudo que me restou fazer foi mandar a mais velha para uma colônia de férias e o contratar uma segunda babá para o pequeno.
                               Com a derrota para a Alemanha meu projeto baixou de ritmo e acabou se encerrando alguns dias antes do previsto. Mas admito que me encontrava física e moralmente arrasado. E assim olhava para o "Newton" ( meu telescópio refletor) sem nenhum entusiasmo.
                               Sem copa , sem trabalho e sem nenhuma disposição para observação me encontrei meio que por acaso as voltas com o pensamento de Espinosa. Baruch ( Bento em português) Espinosa.  Não que tenha me disposto a estudar filosofia mas devido a um pequeno romance que mistura a misteriosa e quase ausente biografia do favorito de Einstein com  uma conspiração nazista. Lendo este romance ( O Enigma de Espinosa-Irvin D. Valom-Ed. Agir) achei uma outra curiosidade que me aproximou ainda mais deste grande pensador. Segundo o autor Bento escrevia inicialmente em português. Judeu de origem portuguesa acabou holandês devido a fúria da Inquisição na península ibérica.
                               Mas se ele escapou da inquisição não escapou da fúria religiosa de seus contemporâneos. Acabou excomungado pela comunidade Judaica de Amsterdã .
                               " Esta é precisamente a minha convicção. Tudo, e com isto estou me referindo a tudo mesmo, tem uma causa natural. Creio que, quanto mais pudermos conhecer, menos coisas haverá que só Deus conheça. Em outras palavras quanto maior for nossa ignorância, mais coisas atribuiremos a Deus."
                               Estas palavras foram colocadas na boca de Espinosa em um fictício dialogo por Irvin Valom. Mas substanciam bem a ideia por trás do tal Deus de Espinosa tão famoso devido as palavras de Einstein. Um Deus inteiramente equivalente a natureza , que inclui toda a substância e "que não joga dados com o universo" , um Deus que significa que tudo o que acontece , sem exceção, segue as leis imperturbáveis da natureza.   E palavras assim garantiram seu cherem (excomunhão).
                               A grande obra de Espinosa chama-se Ética e inicia-se com diversas definições. Diversos deles que são claramente astronômicos  ( o duplo sentido é proposital...).
                               I- Por causa de si compreendo aquilo cuja a essência envolve existência, ou seja, aquilo  cuja natureza não pode ser concebida senão como não existente.
                        Este conceito é de fundamental importância para que aceitemos o DSO que vou apresentar a seguir como algo que existe. E que é observável...
                        II- Diz-se finita em seu gênero aquela coisa que pode ser limitada por outra da mesma natureza. Por exemplo, diz-se que um corpo é finito porque sempre concebemos um outro maior. Da mesma maneira, um pensamento é limitado por outro pensamento. Mas um corpo não é limitado por um pensamento , nem um pensamento por um corpo.
                        Neste ele desmascara Depak Chopra e outros amigos 400 anos antes deles começarem a falar bobagens a respeito de medicina quântica...
                        III- Por substancia compreendo aquilo que existe em si mesmo e que por si mesmo é concebido teologicamente, isto é aquilo cujo o conceito  não exige o conceito de outra coisa do qual deve ser formado.
                        Aqui ele prepara o terreno para vácuo quântico e outra idéias bem a frente de seu tempo.
                        IV- Por atributo compreendo aquilo que de uma substância, o intelecto percebe como constituindo sua essência.
                        Percebam que tudo que apresenta substância , essência e atributos. O Intelecto não tem nada a ver com isto. E assim novamente desmascara muita besteira já dita em nome da física quântica.
                        V- Por Deus compreendo um ente absolutamente infinito , isto é, uma substância que consiste de infinitos atributos cada um dos quais exprime uma essência eterna e infinita.
                        Um belo projeto de Universo no séc XVII.
                               Depois de apresentar as definições Bento Espinosa apresenta na próxima seção de seu "Ética" alguns axiomas. Só um interessa para nós neste momento.
                                I- Tudo que existe existe em si mesmo ou em outra coisa.
                               A Galaxia de Espinosa , mais conhecida como Galaxia Anã de Escultor  ou ainda MCG 06-03-015 é algo que apresenta substancia , essência e atributos. Logo ela existe. Quanto a observarmos esta discreta e tímida galaxia (ela também tem coisas em comum com a personalidade de Espinosa) é preciso talvez renegar a segunda definição de Espinosa é acreditar que um corpo pode ser limitado por um pensamento ou vice versa. Mas isto também não é problema de Espinosa.É culpa do projeto de visão humana.
                               Mas vamos ao que importa e deixando de lado a filosofia de meu tão estimado Bento vamos tratar dos aspectos astronômico do DSO que esta sob nosso escrutínio hoje. Parafraseando um cara lá do Caltech - a filosofia tem tanta importância para a astronomia quanto a ornitologia tem para os pássaros.
                        MCG 06-03-015 é um dos maiores desafios para o observador visual descrito por Phill Harrigton em seu Cosmic Challenge. Seu brilho de superfície é baixíssimo e sinceramente sua observação esta mais para impressão do que visão. Mas é um desafio enorme e por isto mesmo irrecusável.
                        Localizar a "Galaxia de Espinoza" é um tarefa difícil desde o começo. Primeiro localize a Sculptor . Como você não vai tentar ver este DSO de um local com poluição luminosa ( condição sinequanon para ter alguma chance)   a estrela de magnitude 4.3 não é seu maior problema. Dela busque por s Sculptor ao sul desta. apenas 2o . Com 6 magnitude percebe-la a olho nu sera um boa indicação de quão escuro é o céu sobre sua cabeça. E se você a perceber suas chances de perceber a galaxia aumentam bastante... Mais 2o  ao sul e cobrindo uma área maior que a lua cheia você deverá ( ou não) perceber uma leve alteração no gradiente de luz contra o fundo do céu. É só isto que você vai perceber por um telescópio de 150 ou 200 mm. mesmo com telescópios maiores não será muito mais do que isto... Ela se encontra entre duas estrelas de aproximadamente 8a  magnitude e levemente avermelhadas. Elas vão ajudar.
                        A Galaxia de Espinosa só foi "descoberta" em 1938 quando Harlow Shapley percebeu seu apagado brilho em placas fotográficas feitas  no Observatório Boyden  na Africa do Sul. Ao apresentar sua descoberta Shapley , acertadamente , disse " nada muito parecido é conhecido até agora. foi a primeira Galaxia esferoidal anã descoberta.  
                        Pensou-se durante algum tempo tratar-se de um Globular de baixíssima densidade porém estudos posteriores do movimento de suas estrelas individuais demonstraram a presença de muita massa escondida em algum ponto destes DSO´s. A grande quantidade de matéria escura a diferencia claramente de aglomerados globulares.
                        Localizada a 290.000 anos luz de nós pertence ao grupo local e apresenta uma quantidade de Carbono e outros elementos mais pesados semelhante a galaxia muito primitivas e bem mais distantes.

                        Já cacei pela Galaxia de Espinosa algumas vezes. A única que tive uma vaga suspeita de sua presença foi em uma excepcional noite de grande transparência na Serra entre Teresópolis e Friburgo. E ainda assim talvez contrariando a segunda definição apresentada por Bento Espinoza. Seria o pensamento suficiente para criar substancia e dar essência e atributo a este tímido DSO? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário